domingo, 10 de dezembro de 2017

Os astros e o poder


A astrologia deveu sua prosperidade no período renascentista pelo menos em parte à Igreja e ao estímulo positivo que recebeu de diversos papas. Disse-se que uma das razões de Lutero para se opor tanto à astrologia foi o fato de ela se encontrar tão em moda no Vaticano.

Os primeiros papas a se dedicarem ativamente à astrologia foram Sisto IX e Júlio II. O sucesso de Júlio, Leão X, levou um grupo de astrólogos para a corte papal, a fim de aconselhá-lo durante o seu reinado. Paulo III (1438-1549), o primeiro papa da Contra-Reforma, usava astrólogos para determinar as horas para o seu consistório. Mesmo Urbano VIII (1568-1644), que emitiu uma bula contra alguns aspectos da astrologia, continuou como patrono de astrólogos isolados, que o auxiliavam nas suas intrigas políticas particulares.

O exemplo dado pelo papado foi seguido nas principais cortes da Europa. Na Inglaterra a Rainha Elizabeth I aconselhava-se diariamente com o extraordinário Dr. Dee, e Cristiano IV da Dinamarca, Sigismundo III da Suécia e Frederico da Boêmia também utilizavam astrólogos de corte.

Um médico francês, Nostradamus, tornou-se o profeta de sua era após predizer a morte, num torneio, do rei francês Henrique II, quatro anos antes de acontecer. A viúva do rei, Catarina de Médicis, levou-o para o seu círculo cortesão. Nostradamus, porém, era mais necromante do que astrólogo, e consta que conduziu uma sessão espírita com a rainha que durou o tempo de 45 noites consecutivas. Conseguiu finalmente conjurar um espírito que mostrou a ela o seu futuro. A rainha viu cada um de seus três filhos passar rapidamente por um espelho, uma vez para cada ano que reinariam. Depois seu enteado, o protestante Henrique de Navarra (futuro Henrique IV), passou ante seus olhos 23 vezes, muito chocada. Catarina imediatamente suspendeu a perturbadora experiência, não desejando mais repeti-la.



(texto publicado no livro O grande livro da astrologia - Derek e Julia Parker)

sábado, 9 de dezembro de 2017

Diário de Roma - Roberto Pompeu de Toledo


Dias em que o princípio de outono se contamina de um rabicho de verão. Céu de um azul absoluto, noites frescas. Como o colunista também é filho de Deus, coube-lhe, ainda por cima, chegar em dia de lua cheia. O motorista do táxi, ao dar com ela numa curva, confessa-se um enamorado de la luna. Já a fotografou em diversas fases. Conta que uma vez a surpreendeu, em seu esplendor, sobre o Coliseu, e lamenta que naquela época ainda não andasse com o celular a postos para tais emergências. A lua e o Coliseu conhecem-se há 2000 anos, prepararam para o motorista aquele encontro glorioso e ganharam a recompensa de ter o momento gravado em sua memória.

A exemplo do Rio de Janeiro em seus momentos mais críticos, Roma tem militares nas ruas. Dobram com os carabinieri o cuidado de dar proteção às levas de turistas. No Pantheon uma bonita soldada, junto a um carro de combate, mantém o dedo no gatilho da submetralhadora. Os soldados têm sempre o dedo no gatilho. Os carros de combate fazem posto, no centro histórico, como se fossem táxis. Os turistas estão em toda parte. No imenso monumento a Vittorio Emanuele II, com seus muitos e altos patamares, no modelo do bolo de noiva, as multidões que vêm e voltam, avançam e recuam, sobem e descem pelas muitas escadas, corredores e terraços repetem, vistas de longe, o formigueiro humano de Serra Pelada.

Na feira da praça de San Cosimato, bairro do Trastevere, a vendedora de frutas e uma cliente conversam sobre o papa Francisco. "Ele é humano, um homem disponível", diz a vendedora. Faltou dizer que Francisco é também divertido. Com base numa expressão popular argentina, ele enriqueceu a língua italiana com o neologismo balconare la vita. O significado é passar a vida num balcão, só a observar do alto e criticar os outros, sem se envolver. Francisco usou a expressão já duas vezes, em dias recentes, para criticar os que "balconam a vida". Trata-se, segundo o escritor Paolo Di Paolo, em artigo no jornal La Repubblica, de uma expressão feliz, das que "não se limitam a descrever as coisas, mas as tocam e as fazem existir de modo diverso, deslocando a perspectiva de quem escuta".

O Catar, não contente em comprar Neymar, comprou também o Estado Maior da Defesa Italiana. A oportunidade para a segunda aquisição surgiu quando o Estado-Maior da Defesa mudou de seu antigo endereço para um novo complexo do Exército. Com isso ficou vago o histórico Palácio Caprara, com mais de 100 cômodos, e o Catar apressou-se em comprá-lo, para ali instalar sua embaiada. Antes, a embaixada dos Emirados Árabes Unidos também se mudara para um prestigioso edifício, agora exibido com exuberância de luzes na praça da Croce Rossa, e assim os novos potentados do Golfo avançam sobre os signos da riqueza dos velhos donos da Cidade Eterna. Não chegam a se igualar à França, cuja embaixada ocupa o Palácio Farnese, a mais bela das casas da nobreza papal; não chegam nem mesmo a se igualar ao Brasil, cuja bandeira enfeita a fachada do Palácio Pamphili, na Praça Navona, mas descobriram a importância dos palácios romanos como instrumentos de poder, ao lado dos times e jogadores de futebol.

No Campo dei Fiori a estátua do pobre Giordano Bruno é sitiada por todos os lados pelos toldos das barracas do mercado permanente que existe no local. Só se vê a cabeça, coberta pelo capuz do monge dominicano que um dia ele foi. Hoje o Campo dei Fiori, uma ampla e animada praça no centro de Roma, celebra a vida, com sua constante oferta de queijos, salames, frutas, temperos. Já foi celebração da morte, ao tempo em que ali se queimavam criminosos e hereges, entre os quais o mais célebre foi Bruno, filósofo que ousou transgredir os dogmas católicos e, não bastasse, defendeu, com seus prestígio de astrônomo, a tese de que no espaço coexistiam diversos mundos. O Campo dei Fiori ilustra as , digamos, errâncias do erro. Em 1600, quando foi morto, o erro era de Bruno, ao pensar fora dos trilhos da Contrarreforma, em 1889, quando se levantou uma estátua em sua memória, o erro passou a ser de seus algozes.

Em contraste com o motorista atento à lua sobre o Coliseu, incluem-se entre os romanos massas incontáveis de distraídos. O ônibus que os traz do trabalho passa pela Coluna de Trajano e nenhum passageiro dá um grito de espanto. Contorna as Termas de Caracalla e não há quem emita um mísero "oi". Encosta rente à Domus Aurea, passa ao largo das ruínas dos foros imperiais, dá de frente com os arcos do Teatro de Marcello, e ninguém desmaia de emoção, ninguém se estrebucha, ninguém sequer morre! Entre nós brasileiros uma padaria que se alardeie "desde 1960" é uma relíquia histórica. Contada aos milênios, a história nos assombra e nos esmaga.


(texto publicado na revista Veja edição 2552 - ano 50 - nº 42 - 18 de outubro de 2017)

domingo, 26 de novembro de 2017

Uma velhice arrebatadora - Walcyr Carrasco


Envelhecer é um fato e o sinal dos tempos em nosso corpo nos faz ver isso. Mas e a alma? Envelhece também ? Cheguei à conclusão que não. Depende de quanto queremos ainda viver, de quantos sonhos ainda temos, enfim, de quanto nos amamos e nos damos valor. 

Como nada em nossa vida acontece por acaso, enquanto esperava a sessão de quiropraxia, comecei a ler uma edição da Época. O primeiro texto que procuro toda vez que abro um exemplar dessa revista é a coluna do Walcyr Carrasco. E foi com prazer que o tema era justamente a velhice, mas uma muito bem vivida pela consagrada atriz Fernanda Montenegro.

Uma velhice arrebatadora

Fernanda Montenegro tem uma beleza especial que transcende a velhice, a passagem dos anos

Já admirava Fernanda Montenegro havia muitos anos. Era jovem quando assisti a sua magnífica interpretação em As lágrimas amargas de Petra Von Kant. Saí impactado. Fernanda pertence a uma geração de atores formada nos palcos. Nunca fez questão de ser a mais bonita, a exuberante. Ao lado do marido, Fernando Torres, já falecido, investiu sempre na carreira teatral. Surgiram a televisão, o cinema. Foi finalista do Oscar por Central do Brasil. Feio fez a Academia, ao não lhe dar o prêmio. Há pouco tempo, ganhou o Emmy por uma série da TV Globo.

Ainda vive em mim algo do menino de interior de São Paulo que fui um dia. Fico tímido diante de quem admiro. Em um evento da Globo, há dois anos, ela me abordou. Para minha surpresa, disse que gostaria de trabalhar comigo. Quase me ajoelhei. Explicou que já tinha mais de 80. Seria bom não demorar muito tempo, avisou. Óbvio, criei um papel para ela na minha novela atual, O outro lado do paraíso. Um personagem especial, inspirado em uma vidente que conheci no interior do Tocantins. Dia desses, fui visitar as gravações. No camarim, Fernanda, orgulhosa, se contemplou no espelho.

– Estou sem maquiagem.

Aviso. Ouvir isso de uma atriz, ainda mais de uma estrela como é Fernanda, é raríssimo. Não só de atrizes. Eu mesmo gostaria, quando dou entrevistas, de passar pelas mãos mágicas de um maquiador. Uma boa maquiagem elimina sinais de idade. Diante da iluminação, torna os rostos muito mais atraentes. Para uma atriz, abrir mão da maquiagem é o mesmo que expor todos os sinais do tempo, as marcas da vida. Fernanda, como a vidente Mercedes, não usa nenhum artifício. Também a observei nas entrevistas. Lúcida, com um raciocínio exato e conciso, ao fazer declarações sobre os recentes ataques a exposições de arte. Surpresa! Justamente no dia da minha visita, era seu aniversário. Haveria um bolo em sua homenagem. Coisa simples, apenas com o pessoal que estava no cenário, não mais de seis ou sete pessoas.

Cantamos “Parabéns”. Cortamos o bolo. Oferecemos um buquê de flores. Alguém comentou sobre o fato de estar trabalhando justo no dia do aniversário. Ela disse:

– Só tenho a agradecer por estar com 88 anos, aqui, gravando. Ser atriz é o que quis fazer toda a vida. Possuir condições físicas para trabalhar é uma dádiva. A oportunidade de ter um papel, de viver meu personagem, é a melhor comemoração que posso ter. Existe felicidade maior?

Cortou o bolo, ofereceu. Depois se retirou emocionada e majestosa. Porque uma grande atriz, mesmo nas roupas simples da vidente Mercedes, continua a possuir uma aura. Uma beleza especial que transcende a velhice, a passagem dos anos.

Sempre fui pessimista em relação à velhice. Meu olhar sempre se voltou para os problemas, as doenças. No entanto, diante de Fernanda Montenegro, descobri que a velhice pode ser uma fase intensa, cheia de vida, de emoções. No dia da estreia da novela, chovia. Também teve tiroteio no Rio de Janeiro, o que se tornou, lamento, habitual. Houve uma festa, perto dos Estúdios Globo, para atores e equipe assistirem ao primeiro capítulo juntos. Eu demorei uma hora e meia para chegar. Fui avisado. Fernanda não viria. Havia gravado o dia inteiro e voltado para casa. Precisava descansar.

Sentei-me, à espera da novela. Quase no momento de começar, veio novo aviso. Fernanda chegara. Fui até sua mesa. Peguei sua mão. Tremia. Emocionada, como uma principiante. As lágrimas caíam. Explicou. Estava em casa, havia trânsito e tiroteio no caminho. Mas não conseguiu ficar solitária no apartamento. Era uma estreia! Seu coração falou mais alto. Apesar de tantos trabalhos, prêmios, sua emoção era idêntica a minha, do diretor Maurinho, de todos os atores. A mesma emoção que senti quando meu primeiro livro foi editado, peguei impresso nas mãos. Cada estreia de uma peça, de uma novela, quase tenho um enfarte de tão rápido que bate o coração. É o sentimento de todo artista. Do pintor na última pincelada. Do escritor no ponto final. Talvez sejam essas emoções tão intensas que dão forças para um artista enfrentar o mundo. Arte proporciona um contato com algo que está além de mim, de nós. É uma conexão com o impossível.

Fernanda me tocou, me toca. Onde estarei aos 88 anos, pensei. Então entendi. Ela nunca terá os 80 cronológicos. Continua intensa a cada papel. É seu segredo para uma vida luminosa. Tornar a velhice tão arrebatadora e criativa como a juventude.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

A longevidade de Star Wars: um mito moderno? - Christiane Tavares Ferreira da Silva


Em maio de 1977, estreava nos cinemas estadunidenses Star Wars, ou Guerra nas Estrelas, como foi chamado no Brasil. Ele não era a aposta principal daquela temporada de cinema, e seu criador, George Lucas, lançou o filme sem a certeza de que conseguiria financiar continuações onde pudesse contar a história principal da saga: a jornada do icônico Darth Vader. Esse primeiro filme tem inclusive um fechamento claro, que se dá com o fim da mortífera arma do Império denominada Estrela da Morte e a consagração de Luke Skywalker e seus companheiros como heróis.

Apesar das baixas expectativas, filas enormes de adultos e crianças se formaram em frente aos cinemas, criando fãs de uma saga que continuou nos bem-sucedidos O Império contra-Ataca (1980) e O Retorno de Jedi (1983). Os efeitos especiais inovadores da trilogia mudaram a história do cinema, deixando o público espantado com as possibilidades visuais e sonoras apresentadas.

Era razoável se e sperar que os filmes se tornassem clássicos, mas Star Wars fez mais do que isso, e continuou a repercutir por através das décadas. Hoje podemos observar ao menos três gerações que levaram seus familiares não apenas para assistir aos filmes da nova trilogia (1999-2005) ou ao recente O Despertar da Força, mas sim que os apresentaram para a chamada trilogia clássica. O que torna esses filmes ainda tão relevantes?

George Lucas sempre deixou claro que seus filmes eram permeados de simbolismo e que bebeu de diversas mitologias. O herói Luke Skywalker passa por um episódio de tentação nas mãos de Darth Vader, análogo às tentações de Cristo e Buda. A filosofia dos cavaleiros que lutam em nome da justiça na galáxia, os Jedi, tem características claras do budismo. A Força, energia mística utilizada por esses cavaleiros, pode ser entendida como equivalente ao conceito de energia cósmica denominado prana pelos hindus.

Sua história é centrada em valores como amizade, lealdade e fé, e Darth Vader só pôde ser redimido pela fé de seu filho no bem que existia nele; ao longo dos seis primeiros filmes acompanhamos a origem, tentação, queda e redenção desse personagem. Para Lucas, é isso que possibilita o mundo de continuar em equilíbrio: não necessariamente a fé em um sistema religioso, mas sim em algo maior do que nós.

Há quem considere a saga como uma mitologia moderna. Lucas discorda, acreditando que ele adotou o papel de recontar os mitos antigos de uma forma nova. Joseph Campbell, conhecido por seus trabalhos no campo da mitologia comparada exposto em livros como O Herói das Mil Faces, atuou como mentor de Lucas, que observou fielmente a "jornada do herói" descrita pelo autor ao escrever os roteiros dos filmes.

Desde tempo imemoriais, se narra a jornada de um herói que sai em uma aventura e se torna a peça decisiva da vitória em uma crise. Luke Skywalker, um rapaz com uma vida ordinária, é "chamado para a aventura" quando dois simpáticos androides trazem um pedido de ajuda de uma princesa. O herói é relutante e tem medo, mas seu mentor, dotado de poderes mágicos, aqui expressos pela Força, o auxilia a seguir em frente. Ele deve então deixar tudo o que tinha para trás e partir com o novo amigo Han Solo para o resgate da princesa Leia.

O grupo passa por várias provações, e Darth Vader finalmente encontra Luke Skywalker, e o tenta para que esse use seus poderes para o mal, abandonando a jornada, mas Luke se recusa. Depois de um ano de treinamento, o herói pode finalmente enfrentar novamente o vilão que agora sabe que é seu pai, tendo a fé e a crença na piedade deste. Seu pai é subordinado à verdadeira figura do mal, o Imperador. Juntos, eliminam essa figura sombria, e Luke se torna um verdadeiro Jedi - o último - e o fundador do Império e seu representante está destruído e seu pai foi redimido das trevas. A jornada se encerra.

Tanto Lucas quanto Campbell acreditam que o mito é um parâmetro para a vida, algo que mostra nosso lugar no mundo. A mitologia comparada mostra que os povos, em lugares e tempos diversos, contam sempre as mesmas histórias. Assim, uma narrativa concebida nessa estrutura pode ser compreendida por todos, pois elas são imediatamente humanas. Essa é a verdadeira razão da permanência de Star Wars durante 40 anos e, aparentemente, muitos mais em nossa cultura. A mitologia pode sempre ser recontada, e Star Wars o faz brilhantemente.


(texto publicado no Jornalzen - nº 152 - ano 13 - outubro/2017)

sábado, 18 de novembro de 2017

Sabe porque ela é tão bonita? Porque ela já passou pelo inferno e sobreviveu! - Wandy Luz


Sabe porque ela é tão bonita?

Porque ela já passou pelo inferno e sobreviveu.

Porque ela já chorou até pegar no sono, e pela manhã, levantou e continuou, e mesmo com o sorriso meio xoxo, ela não desistiu.

Porque ela já sentiu tanta dor, mas tanta dor que o seu coração quase parou, e mesmo quando a dor castigava e abraçava sua alma, ela não desanimou.

Porque a beleza dela vinha de sua essência, e o sorriso dela iluminava mais que o sol.

Porque a força dela, impressiona até os mais valentes, e apesar de ser delicada, defende seus ideais com unhas e dentes.

A beleza dela é de dentro para fora.

A vida às vezes a castiga, mas ela caminha em um propósito, confia e entrega seu destino nas mãos do criador e do Universo.

Sabe porque ela é tão bonita?

Porque no meio da escuridão ela sempre foi luz, nos momentos de solidão ela foi sua melhor companhia.

Porque a pureza do seu coração a fazia enxergar as maravilhas da vida, o segredo dela era sua fé e muita, mas muita gratidão.

domingo, 12 de novembro de 2017

Por que algumas pessoas tem o hábito de morder os lábios? - Fernanda (Escolha Inteligente)


Morder os lábios ou a mucosa da bochecha é um hábito mais comum do que muitos imaginam, embora esse assunto não seja tão conhecido e comentado quanto roer as unhas, por exemplo. Eu percebi ao longo da minha vida que tinha este péssimo hábito, então resolvi pesquisar mais a fundo as origens e também o que pode ser feito para resolver este problema.

Enquanto pesquisava, pude constatar que inúmeras pessoas fizeram deste hábito um comportamento compulsivo, mordendo os lábios até se machucarem de fato. Isso é realmente preocupante porque muitos não buscam o tratamento adequado e passam a vida toda se mutilando sem saber qual a razão deste comportamento – e o pior – sem buscar ajuda.

Mas afinal, por que as pessoas têm estas “manias”? Bem, o motivo normalmente se resume em duas palavras: estresse e ansiedade. Enquanto estas duas situações não forem investigadas e tratadas da maneira adequada, é bem possível que os comportamentos compulsivos não tenham uma melhora eficaz.

Quem tem o costume de morder os lábios pode ter também outro hábito conhecido como bruxismo – um apertar ou ranger os dentes enquanto dorme – que com o tempo pode acarretar tanto o desgaste dos dentes quanto dores nos maxilares e na cabeça.

Se você tem esse costume e se sente incomodado com isso, aqui vão algumas dicas:

- procure inicialmente um dentista e peça a ele que faça uma avaliação para que possa constatar o problema e indicar o uso de placas ou aparelhos para minimizar os prejuízos causados por estes comportamentos.

- como solução paliativa, eu recomendo escovar os dentes várias vezes por dia e ter sempre à mão um emoliente para os lábios, como manteiga de cacau por exemplo, que dá uma sensação de conforto maior e desvia o foco de morder os lábios. Pelo menos para mim funciona muito bem.

- procure também analisar o que está causando estresse ou ansiedade em sua vida e se ocupe buscando soluções para estas situações, pois se a causa não for tratada, estes comportamentos só tendem a piorar cada vez mais. Não tenha vergonha de procurar ajuda de um psicólogo se não está conseguindo lidar com algumas questões, ele certamente poderá te ajudar.

- ocupe sua mente com aquilo que te faz feliz. Se está insatisfeito com seu trabalho, considere mudar de emprego. Se isso não for possível, faça alguma atividade prazerosa em seus momentos de folga, procure algo que te traga alegria e motivação.

É importante compreender que todos passamos por situações de estresse e ansiedade na vida e dificilmente conseguiremos passar por estes momentos sem sentir os efeitos no nosso organismo. Porém, devemos nos preocupar em buscar soluções para os problemas e não somente ficar pensando neles o tempo todo. Não é tarefa fácil, mas devemos nos esforçar para manter o controle.

É importante também fortalecer o espírito, seja com leitura, meditação ou oração. Como seres humanos, nós precisamos ter um contato com o divino, seja qual for sua crença ou religião. Isso é essencial para se manter o equilíbrio diante das dificuldades da vida.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Não sofra calado: exponha seus sentimentos (Seakalm)


Os malefícios de guardar o mundo dentro do peito.

Em praticamente todos os momentos da vida é natural sentirmos emoções negativas e positivas. Sentimentos fazem parte de quem somos. Mas será que expressar o que se passa dentro da gente é bom ou ruim para a boa convivência em casa, no trabalho e com as pessoas no geral?

Uma das maiores dificuldades que o ser humano tem é a de demonstrar quem ele realmente é e de se expressar. O medo de ser mal interpretado e do julgamento das pessoas nos impede de assumirmos o que sentimos para o mundo. Talvez isso nos acompanhe desde a nossa infância. Geralmente não somos muito incentivados a nos mostrar vulneráveis, nem podemos demonstrar sentimentos como a raiva, ciúme, inveja, vergonha, tristeza. Aprendemos que não devemos demonstrar nossas fraquezas e aos poucos passamos a reprimir o que sentimos.

Expôr as emoções nos ajuda a compreender as situações que estamos passando, podendo trazer soluções que pareciam não existir e oferecendo motivação para mudar ou fazer algo. Guardá-las pode levar a explosões ou um alto nível de ansiedade e estresse. Isso prejudica tanto o bem-estar pessoal quanto nossos relacionamentos.

Nos aprisionamos dentro de nossos sentimentos e achamos que, quando não somos aceitos ou nos sentimos abandonados, o problema é só nosso. Esquecemos das pessoas que ficam ao nosso lado e que se preocupam com a gente e podem nos apoiar.

Não sofrer calado ajuda a dissolver as fraquezas e dores, dando lugar às possibilidades. Também é muito bom reconhecer as pessoas e saborear aquilo que nos fez bem. Tão importante quanto é falar sobre o outro lado, o que nos desagrada e nos deixa desconfortável. Sem isso, não seria possível que as pessoas possam nos conhecer e respeitar. Se fizer isso antes de explodir, vai manter as portas abertas para a comunicação. Mas se perceber que não conseguirá manter o controle, melhor se abrir com quem você confia e também é um ótimo ouvinte.

A expressão “engolir sapo” não devia fazer parte do dicionário de ninguém. Se os sentimentos ruins te pegarem, lembre-se: Não se irrite.

sábado, 4 de novembro de 2017

Felicidade começa com confiança e amor próprio - Pe. Fábio de Melo


Nasci para ser livre, sonhar, conquistar e viver - Pe. Chrystian Shankar


13 hábitos comuns de pessoas com espiritualidade elevada - Diego Marques (O Segredo)


É preciso muita coragem para ser você mesmo num mundo rodeado de pessoas que estão constantemente tentando fazer você ser outra pessoa.

Nessa zona da coragem é reconfortante saber que existem milhares de pessoas altamente espiritualizadas com hábitos similares ao seu.

Não tenha medo de quebrar paradigmas e padrões conservadores, pois são estas mesmas mudanças que trarão as respostas que tanto procura, para que um dia enfim, seja um espírito livre. Quando isso acontecer, você servirá de inspiração para que outros consigam também se libertar. Você é luz.

Com uma mentalidade mais evoluída, tendemos a fazer as coisas de forma diferente do mundo conservador.

As atitudes acabam refletindo desse novo nível de consciência, e pessoas com mesmo pensamento adotando hábitos e comportamentos comuns. Veja quais são eles.

1. Praticam meditação ou yoga

Um dos aspectos mais importantes para o caminho espiritual é ter uma profunda ligação com o universo. O uso da meditação ou yoga reforça o sentimento de unidade com o universo, consequentemente abre os chacras para receber energia do próprio ambiente. Alguns usam simplesmente para separar seus pensamentos e emoções.

Não é raro vê-los sentados em situações de solitude meditando ou trabalhando o corpo e a mente com yoga. Pessoas conservadoras julgarão ser estranho, por ser algo que elas desconhecem e que vai além dos seus hábitos cotidianos. Além disso, não possuem uma expansão completa da sua consciência, ainda. Cada um tem seu próprio tempo. Abaixo vemos um exemplo acroyoga, que é praticada em união com outra pessoa, onde ambas trabalham em cooperação para buscar o equilíbrio.

2. Fazem dietas orgânicas, livres de glúten ou vegetarianas

O corpo físico é o instrumento de trabalho para o Espírito. É natural que no crescimento espiritual, tenhamos uma consciência maior daquilo que colocamos para dentro dele, sabendo identificar o que nos faz bem e o que nos faz mal. O autoconhecimento nos leva automaticamente a esse aprendizado.

3. Reduzem, reutilizam e reciclam

Outro hábito de pessoas espiritualmente conscientes é que elas gostam de utilizar ou reutilizar materiais não poluentes, preservando o planeta Terra. Comprar é uma palavra pouco utilizada para eles. Usam menos sacolas plásticas, reciclam com mais freqüência, usam produtos de limpeza naturais. “Biodegradável” é um termo que eles estão mais propensos e familiarizados. A tendência mundial será conscientizar absolutamente todos na Terra para essa direção. O nosso mundo não mais suportará o nível de consumo atual.

4. Praticam gratidão

Praticar gratidão frequentemente é algo que decorre de uma conexão aberta com o Universo. Ser grato para a vida em uma base diária é algo que nunca desliza da mente de quem está centrado espiritualmente. Agradecendo a lua, o sol, a comida que você está prestes a comer. As coisas mais simples. Acordar de manhã e dar um longo abraço em alguém ou simplesmente agradecer por esta pessoa existir. Atos de gratidão ampliam a conectividade com o mundo.

5. Possuem cristais e pedras preciosas

Não é incomum que as pessoas espiritualmente orientadas possam ser vistas com pedras preciosas, como o quartzo claro, cristais ou ametista. Os cristais são profundamente energéticos com uma influência de limpeza na aura. A energia de um cristal contém o poder natural de cura.

6. Mantém atitude positiva

Assim como todo humano, estes indivíduos têm seus dias ruins, mas de um modo geral, eles são muito mais propensos a espalhar o amor, e não o medo. Eles não ignoram o negativo, eles apenas optam por não mais morar lá. Eles tendem a evitar o drama e luta, tanto quanto possível. É por isso que quando as pessoas começam a despertar, percebem que não têm mais nada em comum com alguns amigos, que ainda não se desenvolveram. Cada um tem seu tempo.

7. Estão menos propensas a assistir televisão

As pessoas espiritualmente conscientes sentem que assistir à televisão é um grande desperdício de tempo. O tempo é precioso e elas preferem passar a vida em contato com o universo. Preferem viver de verdade do que assistir. Entre outras atividades estão: ler, viajar para novos lugares, conhecer novas pessoas que estejam no mesmo nível espiritual, pesquisar conteúdos, construir, criar, entre outros. As pessoas que estão acordadas percebem que a mídia nada mais é do que uma máquina de controle populacional, onde ditam comportamento, medo, regras, pensamento e consumismo.

8. Eles preferem cooperação sobre a competição

O modelo de mundo corporativo atual é altamente individualizado e competitivo. Todos trabalham para si e competem entre si. Quando o ego é menos prioritário, competir uns com os outros realmente não parece fazer muito sentido.

As pessoas com nível de espiritualidade elevado buscam transformar o mundo ao seu redor para que possam vivenciar a cooperação e coletivismo. Mesmo dentro dessas empresas conservadoras, buscam proximidade com pessoas que detém o mesmo pensamento, para que possam harmonizar energeticamente o ambiente de trabalho.

9. Evitam boates e bares

Enquanto algumas pessoas passam toda a semana ansiosos para sexta e sábado à noite para ficarem bêbados em festas ou bares, outras tendem a buscar outros caminhos. Isso não quer dizer que elas não frequentem esses lugares, apenas mostra que não é uma rotina.

10. Usam substâncias psicoativas ocasionalmente para expansão da consciência

Ayahuasca, cannabis, cogumelos, substâncias sintéticas entre outras plantas medicinais, ocasionalmente são utilizadas com total segurança, com a finalidade de expandir as consciência. É muito diferente do uso de drogas, onde você ao invés de perceber seus sentidos expandidos, inconscientemente perde o controle do seu corpo e mente, que estão dopados. É importante ressaltar que nem todos sabem seu limite e nem tem o controle do que estão fazendo. Portanto, aqueles que ainda não se conhecem, não podem e nem devem utilizar.

11. Incentivam outras pessoas

Enquanto muitos inconscientemente criticam sonhos e planos compartilhados, dentre elas parentes e amigos, outras pessoas com a consciência elevada tendem a incentivar ao máximo aqueles que tem novas ideias. Pessoas assim são raras de encontrar. Saiba que quando você incentiva alguém, a sua própria estrela brilha mais e mais.

12. São influenciadoras de pessoas e ambientes

Essas pessoas sabem elevar a energia de ambientes e pessoas como ninguém. Dificilmente perdem o controle de situações, mas não quer dizer que não aconteça. São simples as atitudes como saber ouvir, elogiar, se desculpar ou até mesmo mudar uma situação com um sorriso.

13. Valorizam a simplicidade

Perceberam que a riqueza da vida encontra-se nas coisas mais simples, como por exemplo: o som da chuva caindo, o cheiro da grama molhada, o vento e a mudança de temperatura após a entrada de uma frente fria, o sabor de uma comida energizada, um abraço, a energia do sol, o canto dos pássaros, o silêncio…

E você, se identificou com algum desses hábitos? Esses dez itens mostram que talvez você não esteja sozinho em sua jornada. Enquanto algumas pessoas que cresceram com você te chamam de estranho, outras milhares de pessoas que você ainda não conhece, compartilham experiências similares. Você faz parte de uma comunidade enorme, mas talvez ainda não tenha encontrado o seu lugar. Tudo tem seu tempo.

Alguns destes hábitos podem ser motivo de ridicularização pela população em geral, mas não seja alvo da opinião de ninguém. Deixe o seu espírito guiá-lo sem qualquer interferência externa, apenas sorria e deixe todos esses pensamentos que depositaram em você irem embora. Saiba que ninguém, absolutamente ninguém vive a sua vida, apenas você, que é seu próprio guia. Só você habita aí dentro. Busque sua essência, sua comunidade, encontre-se. Você não está sozinho.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Peixes – 12 defeitos e 12 qualidades. Entenda-os - Gabriel Victor


Olá! Sou o Gabriel Victor, e aqui falarei TUDO sobre os Piscianos, ou seja, pessoas que têm o signo/sol em Peixes.

Defeitos e qualidades. Eu aqui falarei sobre como um pisciano leva a vida perante a sociedade e o mundo. Como ele é de coração, de alma e de raiz. Terei como exemplo vivido EU, que aliás sou um pisciano. 

DEFEITOS:

1 – Somos sonhadores ao extremo. Queremos viver no mundo dos contos de fadas, onde tudo é perfeito. Onde todos amam incondicionalmente. Onde todos são felizes. Onde ninguém esteja doente; desempregado; necessitado. E muitas vezes, nos surpreendemos com a grosseira realidade.

2 – Sim, temos dificuldades em administrar de uma forma racional o nosso dinheiro. Não é que não saibamos guardar e gastar quando necessário, até que sabemos. Porém, quando estamos desequilibrados emocionalmente, não importa o que seja, erramos muito. É a realidade.

3 – Ter um coração tão infinitamente aberto a amar, nem sempre é bom e vivemos isso. Pois não enxergamos com facilidade o limite do “ajudar”, do “sacrificar-se” desnecessariamente.

4 – Temos sim, uma percepção muito aguçada. Uma empatia tão absurdamente rápida e profunda, que só sendo pisciano mesmo para saber. Mas pecamos em algo, esse dom não nos ajuda muito quando ignoramos o possível lobo interior dele(a) e só queremos ver a ovelha linda e pura. É a realidade. Achamos que todos os erros do mundo podem ser melhorados. Mas não é verdade. Queríamos que fosse, mas não é. Viajar na maionese é bom, em certo ponto. Talvez para meditar, para se acalmar da correria do dia a dia. Mas NUNCA, NUNCA nesse contexto.

5 – Somos muitas vezes ignorantes. Quando temos uma ideia ou filosofia na cabeça, será muito difícil mudá-la. Quando queremos algo, é muito difícil desistirmos. A pessoa pode me dar mil caminhos diferentes, mas se eu já tracei minha rota, será muito difícil eu mudar de ideia. Difícil, mas não impossível. Tudo se resolve com uma conversa. Esse é meu Lema.

6 – Somos ingênuos até demais. Sabemos que há muitas pessoas ruins, mas sempre só vemos o bem nelas. Infelizmente. Ao mesmo tempo que somos muito maduros em algumas coisas, somos também muito infantis em outras. Dizem que pelo fato de Peixes estar ao lado de Áries, que simboliza um recomeço, podemos muitas vezes oscilar nessa maturidade de um idoso e nessa infantilidade de um bebê. Concordo, até certo ponto.

7 – Somos bipolares. Por sermos tipo uma esponja, que vai acumulando as tristezas e decepções da vida, algumas vezes surtamos. Podemos ser um dia o agressor e no outro a vítima. Um dia ativos e outro passivos sobre as coisas da vida.

8 – Somos ruins com horários. Se a festa é as 20:00, muitas vezes chegamos umas 20:07. É fato.

9 – Somos camaleões. Pelo fato de sermos do elemento Água, somos muito adaptáveis. Conseguimos nos socializar com qualquer tipo de pessoa. Sendo ela um professor ou aluno. Não somos falsos. Só conseguimos nos encaixar facilmente em qualquer cultura. Em qualquer mundo diferente do nosso. E infelizmente algumas vezes não sabemos quem somos de fato. O professor intelectual ou o aluno aprendiz.

10 – Somos péssimos com rotinas. Por exemplo, se é para fazer a tarefa sempre das 15:00 até às 17:00, de segunda a sábado, nunca conseguimos fazê-la todos os dias certinho.

11 – Não somos muito bons empreendedores de negócios ou empresas, pois trabalham muito com cálculos e grandes responsabilidades.

12 – Amamos como ninguém, de uma forma absurdamente mágica. Mas quando somos decepcionados, quando somos feridos no coração por alguém que amamos, podemos até perdoar, mas NUNCA, nunca esquecemos esse lado da pessoa. E levamos para a vida toda. Perdoamos fácil, mas nunca nos esquecemos de NADA.

QUALIDADES:

1 – Temos um coração aberto ao MUNDO. Não importa quem você seja ou o que for. Não olhamos suas características pessoais, olhamos o seu coração. Somos muito bons em cuidar do OUTRO. Temos aptidão com Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, psicologia e outros. Para nós, o sorriso do outro é um presente que dinheiro nenhum compra.

2 – Temos uma EMPATIA sobrenatural. Conseguimos nos colocar no lugar do outro de uma forma impressionante. Por exemplo, se uma pessoa vier a mim e disser: Eu fui traído. Com apenas essa frase, juntamente com a fisionomia da pessoa, nós, Piscianos, conseguimos ver um filme na cabeça de como foi o acontecido. (Fazendo uma ilustração, para você, leitor, entender melhor). Conseguimos sentir o outro muito facilmente. Por isso, às vezes, podemos até chorar junto com à pessoa, pois a compreendemos super bem. Se você tem um amigo pisciano, vai concordar comigo. Eles nos compreendem de uma forma que até ficamos surpresos com a rapidez e profundidade.

3 – Estamos sempre sorridentes e de bom humor. Pelo fato de sermos pensadores e imaginativos, nós nos encontramos muito no mundo da Lua. Lá é tudo lindo e perfeito. E quando voltamos para a realidade, pegamos um pouco desse colorido da imaginação e o transformamos em sorrisos e alegria. Por isso, temos aquele brilho no olhar que todos dizem. Outra forma de fuga também são a música e as artes, onde podemos nos apoiar e transmitir esse sentimento ao mundo físico. Temos um domínio profissional em criar o novo. O bonito. O impressionável.

4 – Somos espirituais. Amamos esse contato com o mundo superior. Temos FÉ no AMOR de JESUS. Temos FÉ.

5 – Somos escritores e poetas autodidatas. Temos um dom absurdamente colorido e original. Odiamos copiar poesias de alguma outra fonte, pois sabemos que somos por natureza talentosos. É só abrir a boca que belas palavras sairão. É só nos dizer qualquer assunto, que em pouco tempo teremos lindas poesias/reflexões/ dicas/ ensinos a transmitir. Temos um dom muito apurado para compor músicas. Somos muito comunicativos, e discordo dos que dizem que não expressamos os nossos sentimentos. E outra, se estamos apaixonados, pode sair da frente. Serão chuvas de pétalas, jantares a luz de velas, declarações das mais surpreendentes e criativas possíveis, e muita poesia vinda do mais sincero coração possível.

Esse texto de explicação sobre o signo de peixes, por exemplo, estou fazendo unicamente com embasamento pessoal, tudo sobre o Eu que já vivi e aprendi. Creio que só com isso dá para ter uma ideia de como somos minuciosos nas palavras. E outra, só tenho 20 anos de idade.

6 – Podemos até parecer bobinhos, mas não se engane. Temos um ouvido e uma percepção da atmosfera ao redor muito aguçada. Estamos sempre atentos em pequenos detalhes na fisionomia do outro, nas piadas, ou nas atitudes. Sim, somos muito observadores, muitas vezes ao extremo. Só que nem damos conta disso, só estamos ouvindo e vendo TUDO. Porém, essa percepção é voltada mais ao que nos importa, sendo sobre relacionamentos, família, amigos ou trabalho.

7 – Beijar, para nós piscianos, não é somente beijar, mas é transmitir diferentes sensações através dos lábios. Somos muito originais e sempre queremos algo diferente. Muito difícil entrarmos na mesmice. Um beijo para nós é a oportunidade de se experimentar TUDO. Beijo lento, rápido, com mordidas, etc. TUDO que vier na cabeça para impressionar o parceiro(a). Mas além de tudo, sempre queremos um beijo bem dado. Um beijo que tenha gosto. Que possamos nessa ação provocarmos uma reação inesquecível no outro(a).

8 – Intimidade para nós é como beijar, buscamos sempre o novo, o original. Podem nomear como quiser. Para nós o importante é a originalidade. Mas sempre com um pingo de romantismo. Somos muito diversificados.

9 – Somos sinceros de caráter. Não gostamos de fazer o que não nos faz felizes. Dinheiro não é tudo para nós. Ou seja, na maioria das vezes, se temos a chance de correr atrás de nossos sonhos, não hesitamos.

10 – Odiamos mentiras. Odiamos falsidade. Odiamos pessoas exibidas. Odiamos Injustiça. Odiamos falta de compaixão de alguns. Odiamos falta de empatia de alguns. Odiamos crueldade. Odiamos homofobia. Odiamos racismo. Odiamos traição. Odiamos qualquer falta de amor realizado em atitudes como forma de opressão. Somos exigentes nisso. Seguimos aquele ditado: Não faça nada a ninguém que não queira que seja feito a você. Isso diz tudo.

11 – Aceitamos que ninguém consegue amar como nós. Aceitamos que sempre nesse quesito vamos ser MASTER. Mas queremos pelo menos um pouco de retorno do parceiro. Não precisa ser em forma de declarações ou provas de amor, mas que pelo menos seja na busca e no preocupar-se conosco. AMAMOS isso. Sentir-se necessário na vida do outro. Faça isso que você conquistará um pisciano, pois eles são carentes disso.

12 – Dizem que pelo fato de sermos o último signo do zodíaco, temos um pouco de todos os outros 11 anteriores. Dizem também que somos o signo mais evoluído. Acredito, sim, e muito nisso. Mas vou lhe explicar o porquê, e quero que veja isso com um novo olhar.

Imagine que todos os 12 signos são fases de uma vida. O signo de Áries, nesse caso, sendo o primeiro, é o bebê. O Fogo. A Loucura. O fazer sem medo de errar. Sem medo de cair. De tropeçar.

E temos o Peixes, o último, uma fase mais madura, a velhice. É aí que as pessoas param para pensar mais no mundo, no ajudar o próximo. Pois por dentro já estão vividos. E a visão de mundo, de dinheiro, de ganância e de preconceito, já está bem desenvolvida. Não faz sentido?

Um idoso quer viver, quer se divertir, mas ao mesmo tempo, quer amar, que ajudar. Nessa idade, o idoso não se importa mais em estar no topo, em ser o top da festa, em ser o melhor em tudo. Mas só quer a felicidade dos outros. Ele se ama, mas agora, nessa altura, ele só quer pensar no outro. Por isso não somos materialistas. Por isso que para nós um abraço sincero vale mais que muito dinheiro, pois o dinheiro vem e vai, mas uma amizade verdadeira é eterna. Por isso amamos o próximo acima de nós. Essa é a verdade.

Grato!

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Não agrade os ingratos, nem sirva aos folgados! - Marcel Camargo (O Segredo)


Precisamos parar de tentar agradar aos ingratos, de servir gente folgada, de nutrir amizades duvidosas, para que possamos percorrer somente os encontros verdadeiros.

Passamos muito tempo fazendo a coisa certa para as pessoas erradas, sofrendo as consequências das péssimas escolhas pelo caminho, sofrendo à toa por coisas inúteis e gente sem conteúdo, alimentando vãs esperanças em relação ao que não tem a menor chance de vir a acontecer.

Perdemos muito tempo investindo no vazio, esperando retorno do que não volta, aguardando sorrisos de quem nem nos olha direito. É preciso focar no que é real, pois, mesmo que não haja muito de verdadeiro nesses terrenos, esse pouco bastará.

Precisamos parar de tentar agradar aos ingratos, às pessoas descontentes e incapazes de receber algo de fora. Existem indivíduos que se encontram por demais fechados ao acolhimento do que não se encontra dentro deles, do que não faz parte daquele mundinho em que eles se fecham, presos a crenças e sentimentos que não mudam, não são repensados, não saem do lugar. Tentar alcançá-los é inútil.

É necessário evitar a servidão aos folgados, aos aproveitadores, a quem não sai do lugar por si só, a quem foge a qualquer tipo de responsabilidade, pois sabe que alguém sempre fará por ele.

Temos que ter clareza quanto ao que realmente devemos e poderemos tomar para nós, ou acumularemos cargas de bagagens que não são, nem de longe, relacionadas às nossas vidas. Muita gente precisa de ajuda, sim, mas muitos precisam é de vergonha na cara.

Não podemos nutrir amizades duvidosas, com pessoas que não expressam a menor necessidade de nós, como se tanto nossa presença quanto nossa ausência fossem a mesma coisa, algo sem importância, invisível, dispensável.

Nem todos de quem gostamos irão gostar de nós, o retorno da estima e da afeição nunca é uma certeza, portanto, há necessidade de que adentremos exclusivamente os encontros verdadeiros.

Não é fácil nem tranquilo conseguirmos acertar quanto ao que poderemos regar com a certeza de retorno e reciprocidade, uma vez que as pessoas, os acontecimentos, a vida, tudo é imprevisível.

Embora muito do que acontecerá em nossas vidas não possa ser controlado, mantermos sob controle nossas verdades e a certeza de que merecemos ser felizes nos tornará mais fortes diante dos tombos, sem que desistamos de nossos sonhos.

Como fugir da autossabotagem - Izilda Costa


Muitas pessoas, por alguma frustração ou baixa autoestima, acabam por se boicotar e deixar a coragem de lado

Muitas pessoas inteligentes e competentes não conseguem crescer nas áreas pessoal, física, financeira e profissional. Geralmente, são pessoas corretas, esforçadas e que fazem o seu trabalho bem feito. No entanto, apesar de tudo isso, não conseguem alcançar o sucesso que gostariam. Essas pessoas sentem-se frustradas e até mesmo injustiçadas pela vida, além de jogar o peso no fato de que outras pessoas menos esforçadas, muitas vezes conseguirem mais do que elas, com resultados melhores. Assim, acabam de sabotando. Mas como fugir da autossabotagem? E por que será que isso acontece? É bom saber que, primeiramente, nada acontece por acaso.

O que está faltando?

Algo mais profundo, como se fosse a fundação de uma casa. Se a fundação não for boa, não dá para construir nada em cima. Com fundação deficiente qualquer tentativa de construir um prédio em cima não funciona. Esse conteúdo mais profundo é o que buscamos no processo terapêutico ao descobrir a força que existe em nosso inconsciente. O quanto as nossas crenças e emoções negativas acumuladas influenciam a nossa forma de pensar e agir gerando autossabotagem.

Nesse processo inconsciente de autossabotagem e vitimização fazemos escolhas. Problemas na autoestima também levam à autossabotagem inconsciente. Quanto mais baixa a autoestima, maior o pessimismo, a sensação de não merecimento, menos autoconfiança e mais sensação de incapacidade.

Rejeição e perdas

Pessoas que sofreram muita rejeição, críticas, abandono, falta de apoio ou até mesmo muitos elogios durante a infância, ou mesmo crianças que foram superprotegidas, tendem a desenvolver uma baixa autoestima.

E se você se sente incapaz, e que não merece, ou se tem medo de críticas e rejeição, vai ser realmente difícil crescer profissionalmente.

A autossabotagem fará com que você não veja oportunidades, ou fará com que você adie o que poderia fazer melhorar a sua vida praticando o que chamamos de procrastinação.

domingo, 29 de outubro de 2017

O que é o amor?


Em uma sala de aula, havia várias crianças, quando uma delas perguntou:
- Professora, o que é o amor?
A professora sentiu que a criança merecia uma resposta à altura da pergunta inteligente que fizera. Como já estava na hora do intervalo, pediu para que cada aluno desse uma volta pelo pátio da escola e trouxesse o que mais despertasse nele o sentimento de amor.
As crianças saíram apressadas e, ao voltarem, a professora disse:
- Quero que cada um mostre o que trouxe consigo.
A primeira criança disse:
- Eu trouxe esta flor, não é linda?
A segunda criança falou:
- Eu trouxe esta borboleta. Veja o colorido de suas asas, vou colocá-la em minha coleção.
A terceira criança completou:
- Eu trouxe esse filhote de passarinho. Ele havia caído do ninho onde estava junto com o outro, seu irmão. Não é uma gracinha?
E assim, as crianças foram se manifestando. Terminada a exposição, a professora notou que uma criança tinha ficado quieta o tempo todo. Ela estava vermelha de vergonha, pois nada havia trazido.
A professora dirigiu-se a ela e perguntou:
- Meu bem, por que você nada trouxe?
E a criança timidamente respondeu:
- Desculpe professora. Vi a flor e senti o seu perfume. Pensei em arrancá-la, mas preferi deixá-la para que seu perfume exalasse por mais tempo. Vi também a borboleta, leve, colorida! Ela parecia tão feliz que não tive coragem de aprisioná-la. Vi também o passarinho caído entre as folhas, mas, ao subir na árvore, notei o olhar triste de sua mãe e preferi devolvê-lo ao ninho. Portanto, professora, trago comigo o perfume da flor, a sensação de liberdade da borboleta e a gratidão que senti nos olhos da mãe do passarinho. Como posso mostrar o que trouxe?

Moral da história: A professora agradeceu à criança e lhe deu nota máxima, pois ela foi a única a perceber que só no coração podemos trazer o amor...

A idade de ser feliz - Mário Quintana


Existe somente uma idade para a gente ser feliz.

Somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los, a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida á nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que agente enfrenta com toda disposição de tentar algo novo, de novo e de novo, e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE, também conhecida como AGORA ou JÁ e tem a duração do instante que passa...

sábado, 28 de outubro de 2017

Perdoe a si mesmo pelas escolhas que o fizeram sofrer. Você não tinha a maturidade que tem hoje - Ivonete Rosa


Não tem outro jeito, sinto muito se o desaponto. Sabe, é louvável tudo o que você tem conquistado, especialmente, nos quesitos maturidade e crescimento pessoal.

Entretanto, você precisa, definitivamente, entender uma coisa: você precisa perdoar a pessoa que você foi no passado.

Compreenda, de uma vez por todas, que ela não tinha a maturidade que você tem hoje. Não a julgue, não a condene. Tudo o que a sua versão do passado precisa e espera de você é compaixão e empatia.

Pare de olhar para o que passou com as lentes da crítica e do arrependimento. Entenda, isso não vai ajudar em nada. Uma vez que você já identificou onde errou e o que não pode repetir mais em sua vida, o melhor a fazer é encher a alma de gratidão pelos aprendizados e tocar o seu barco. Não, não é fácil olhar para trás e ter a consciência de que foi feito de trouxa, isso causa revolta, dor, constrangimento, raiva e etc.

Indiscutivelmente, é horrível se dar conta de que zombaram e pisotearam as suas atitudes e intenções mais genuínas. Talvez você tinha reservado o que tinha de melhor para ofertar a alguém e recebeu de volta o pior dele.

Mas, entenda, cada um oferece o que tem, e você ofertou o seu sagrado. Se não foi valorizado, a culpa não é sua. Não permita que essa experiência o transforme num eterno ressentido.

Olhe a situação por um outro prisma. Você adquiriu muitos aprendizados através dos seus desacertos. Não, isso não é uma frase clichê, é fato. Os seus dissabores contribuíram para a construção da pessoa que você é hoje: mais seletiva, mais observadora, mais prudente e, acima de tudo, consciente da sua capacidade de superação. Tudo o que você precisa agora é fazer as pazes com o seu passado. Dê um desconto à sua versão anterior. Não é justo se crucificar pelos erros cometidos, você fez o que estava ao seu alcance, agiu conforme entendia que era certo.

Experimente uma nova forma de olhar para as suas experiências passadas, mude o prisma. Extraia o que teve de positivo. Se, por exemplo, você viveu um relacionamento infeliz e abusivo e saiu dele, isso merece ser comemorado. Nem todos têm a mesma capacidade ou sorte de se livrar de algo tão nocivo. Você conquistou o direito de recomeçar e isso é o que mais importa agora. Evite se lamentar pelo tempo em que esteve aprisionado. Se você ficar focado na mágoa e no ressentimento, você não terá condições emocionais de se refazer.

Oxigene a sua alma, perdoe-se pelos dissabores, ainda que você tenha permitido, entenda que você estava, de alguma forma, sem imunidade emocional.

Hoje o contexto é outro. Perdoe-se pelas escolhas que o fizeram sofrer, isso é fundamental para que você caminhe em paz pela vida e atraia as pessoas e circunstâncias que você merece. Combinado?

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

A vida devolve em dobro - as coisas boas e as coisas ruins - Valter Jeronimo (O Segredo)


Parece brincadeira, mas não é. A lei do universo é simples: ação e reação. Quem nunca ouviu falar que o mundo dá voltas? Ou que coisas boas atraem coisas boas e coisas ruins atraem coisas ruins? Não importa a sua religião ou credo, o universo retribui.

Encontrar uma carteira cheia de dinheiro na rua? Acontece. Devolver? Nem sempre. E quem devolve? É bobo. “Se você perder a sua, ninguém te devolverá”, eles dizem. “Todo mundo pega, todo mundo rouba, todo mundo é esperto”. Calma lá, amigo, eu não sou ‘todo mundo’. A vida devolve em dobro.

Nunca utilize as pessoas como meio, mas sempre como fim em si mesmo. Isso é Kant. E é Deus, Oxalá, é a ciência, é ateísmo. Não importa de onde você tira esse conceito. A paz de espírito só existe se você estiver bem com você e com o outro. Ninguém aqui é uma ilha.

A vida, meu amigo, devolve cada centavo. Mas nem por isso você deve esperar sentado a retribuição pelas suas boas ações. Se você está nessa vibe, melhor mudar de perspectiva. Sem motivos, sem objetivos futuros. Amar sem compromisso. Ame, inclusive, os teus inimigos.

Falta amor por aí. Faltam boas ações e sobra intolerância. O universo devolve em dobro. E pagamos também pelos erros dos outros. Afinal de contas, somos uma comunidade. Estamos juntos nesse planetinha azul. Mais amor, menos guerra, inveja e ódio. Paz nos corações.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

9 coisas que você precisa parar de fazer por ser bonzinho demais (O Segredo)

Pare de fazer essas 9 coisas. Não seja bonzinho demais!

1. Dar desculpas para outras pessoas

Pare de dar razão ao mau comportamento dos outros para com você. Não invente desculpas para suportar maus-tratos.

Algumas pessoas serão más e manipuladoras, aproveitando de sua bondade. Não continue dando chances a eles de explorar sua empatia para seus próprios ganhos.

2. Manter a paz a todo o custo

Você pode ser um amante da paz, mas às vezes você precisa se impor. Pare de evitar conflitos. Decida se defender, mesmo se você odeia confrontos. Se você permitir que pisem em você, algumas pessoas vão confundir sua gentileza com fraqueza.

3. Não expressar o que você realmente sente

Expressar, expressar, expressar. Contanto que você não está intencionalmente prejudicando ninguém, diga o que você realmente sente. Nem sempre é preciso ser educado e ter medo de causar uma má impressão. Às vezes você precisa falar o que pensa, independentemente do que outra pessoa pense de você.

4. Tentar ser perfeito

Entre em contato com seu eu autêntico, seus pensamentos e emoções mais íntimos. Pare de colocar os outros em um pedestal, enquanto você se repreende por suas próprias falhas. Aceite suas fraquezas, e lembre-se que ninguém pode ser perfeito o tempo todo.

5. Fazer todos felizes

Pare de tentar agradar a todos. No fim do dia, sempre haverá alguém que vai ter um problema com quem você é ou com o que você faz. Você não pode fazer todos felizes. Pare de se preocupar com o que os outros pensam de você e faça a coisa certa.

6. Sucumbir ao abuso emocional

Reconhecer quando você está sendo dominado, traído, estiverem fazendo você se sentir mal sobre si mesmo. Pare de deixar que alguém projete suas próprias inseguranças em você. Ninguém pode fazer você se sentir inferior sem o seu consentimento. Acabe com o ciclo vicioso de vítima e perpetrador.

7. Dizer sim quando quer dizer não

Não deixe que ninguém o faça sentir-se mal em se defender. Você tem uma voz, você merece uma opinião, e seu senso de autoestima não depende da aprovação externa. Pare de deixar alguém fazer você se sentir culpado por recusar fazer o que não quer e não pode.

8. Colocar as necessidades dos outros antes da sua

Suas necessidades são tão importantes quanto as de qualquer outra pessoa. Você é humano como todos os outros. Há um limite para os sacrifícios e compromissos que você pode fazer. Não se perca tentando dar a outras pessoas o que elas são incapazes de fazer por si mesmos.

9. Pensar que você não é suficiente

Você é digno de todas as coisas maravilhosas que a vida tem para oferecer. Contanto que você se esforce para se tornar uma pessoa melhor a cada dia, você é bom o suficiente. Recupere o seu próprio poder, assuma a responsabilidade por sua mente e corpo, e assuma o controle de sua própria vida.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Diário de vida: Ela é de câncer (será que eu sou assim?) - Bárbara Morais


Ih, meu amigo. Ela de câncer. Pode se preparar, que essa daí vai dar trabalho.

Ela é muito mais complicada do que qualquer outra coisa que você já ousou tocar.

Ela é de câncer. Ela é complexa, extensa, e não vem com manual de instrução. Ela é variável, imprevisível, inquieta.

Ela é de se entregar, de corpo e alma. Não gosta de pular de coração em coração, mas vai fazer isso até achar um para se acomodar.

Ela gosta do seu carinho, e vai implorar por ele até ganhar. Ela quer demais, mas nem sempre consegue o que quer. E quando isso acontece… Ah, que explosão!

Ela é sensível, como os seus arrepios quando você a toca. Qualquer frase bonita a faz chorar, e qualquer problema já a deixa desesperada. Mas ela nunca desiste. Por mais complicado a situação está, ela vai até o fim. Ela é determinada, exigente, perfeccionista. Essas não são as qualidades ainda.

Não é porque ela muda de assunto de uma hora pra outra, que quer dizer que ela não ouviu o que você estava falando. Ela estava, porém você a fez pensar em outra coisa.

Mas se ela deixar de falar, corre o risco de seus pensamentos correrem. Se ela não responde ou fica te encarando, ela não está te intimando. Ela só quer te olhar, e lembrar do seu rosto daquele jeito, naquele lugar.

Ela gosta de saber que é amada, que é especial e que nunca será a única no seu coração. Ela é insegura, coitada.

Ela é pura poesia. Sentimento, amor. Ódio também. Vingativa até sua última gota de sangue. Cheia de mistérios, mas ela está disposta a deixar você descobrir, mas só se você merecer.

Não é qualquer um que entra nas profundezas de uma canceriana. Não é escorpiano, não é pisciano. É amor. Amor é a chave para seu coração. Mas tome cuidado. A gente nunca sabe o que encontrar lá dentro.

Vish, ela é de câncer. Ela é de fases. Ora está feliz, ora está quieta em um canto ouvindo uma música triste. Muito provável que esteja chorando baixinho. O motivo? Ah, até ela te explicar… Às vezes ela soluça de tanto chorar. Às vezes ela rola no chão de tanto rir. Ela vive apenas para ser feliz, mas nem sabe o que é felicidade ainda.

Os sentimentos dela, são montanha-russas eternas, que não tem hora para parar. Ela gosta desse clichê que é a vida, mas também gosta de coisas originais. Gosta de cantar na rua, correr para abraçar suas amigas, não tem lá muita vergonha. Timidez? Passa longe.

Mas a menina é possessiva, viu? Ciumenta até. Não suporta ver outros ouvindo suas bandas favoritas, e os filmes que ela gosta, só ela pode ver. Se você um dia disse que era dela, você será dela pra sempre. Até ela perceber que ninguém é de ninguém, e só ela pode ser dela mesma. Ela vai cuidar de você, como se fosse um bichinho de pelúcia. Um peixinho no aquário. Ela vai te deixar livre, só não invada a liberdade dela.

Ela até gosta do passado. Gosta das memórias, das lembranças, das histórias que a fizeram rir um dia, até daquelas que a fizeram chorar. Mas ela prefere sonhar com o futuro. Com todas as coisas que ele ainda guarda, e ela quer ir lá, à pé, para descobrir. Tão sonhadora, que mal consegue se manter no chão.

Ela é de câncer. Fácil de conquistar, difícil de manter. Ah, mas eu te falo, que vale a pena. Não jogue o amor dela fora, não. Hoje em dia, tudo o que ela tem para te dar é ouro. Não deixa ela ir embora, pois ela pode nunca mais voltar. Se voltou uma, você tem sorte.

Filha do mundo. Não quer ser dona dele. Ela quer apenas viver, sentir e aprender.

Sim, ela é de câncer. Mas sente mais que todos os signos do horóscopo juntos.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Seja bom e correto, mesmo quando ninguém estiver olhando - Leandro Karnal


O que tiver que ser, será... no tempo e momento certos - Raquel Aldana (O Segredo)


O que tiver que ser será, no devido tempo e hora, porque o destino é incerto e às vezes os ventos simplesmente não sopram a nosso favor, apesar de nossos esforços. 

Dizem que as melhores coisas não são planejadas, simplesmente acontecem e é melhor não pressionar o tempo. Porque se alguma coisa deve acontecer, ela vai acontecer de qualquer maneira. E se não deve, não acontecerá. Simples assim. 

“Por isso, de vez em quando é bom não planejar ou esperar, deixar de tentar encontrar razões para continuar por um caminho que não é o certo.” 

O fato de que as coisas são mais simples do que originalmente planejamos abre uma ampla gama de possibilidades para desfrutar de uma vida muito mais relaxada e simpática para o nosso bem-estar. 

Tudo passa, tudo chega, tudo se transforma 

Provavelmente, todos concordam que somos um produto de nossas circunstâncias e nossos desejos. No entanto, às vezes estes são incompatíveis ou, é difícil para nós digerirmos as conseqüências. Isto levanta preocupações que nos deixam ansiosos e amargam nossa existência. 

“Nestas ocasiões, é bom que nos lembremos de um famoso provérbio que guarda em si uma lógica avassaladora: Se tem solução, por que se preocupar? E se não tem, por que se preocupar?” 

A verdade é que sim, parece óbvio que não devamos nos preocupar com o que não podemos resolver, mas deixar-se levar e ficar calmo às vezes pode ser praticamente impossível. 

Então, talvez devêssemos aprender que há certas coisas que estão além do nosso controle e que muitas vezes permitir o fluxo da vida e aceitar as circunstâncias é a melhor das nossas opções. 

Nós não somos a armadura, somos a respiração 

Somos aquilo que digerimos, as pedras nas quais tropeçamos, os machucados que não curamos e os trágicos fins de nossas vidas. Nós não somos apenas os sorrisos, alegrias ou verdades, também somos mentiras, as críticas e as lágrimas que não choramos. 

“Não se trata de crer ou não crer em destino, mas em deixar que as circunstâncias nos surpreendam e assim abrir as janelas do relaxamento emocional para nos ajudar a reacender os nossos sentimentos. 

Ocasionalmente, é necessário fugir de nós mesmos e nossas expectativas. Então, lave a sua mente para tomar perspectivas, conte até dez e sinta o oxigênio encher seus pulmões.” 

Lembre-se que as suas partes com as quais você não se conecta habitualmente, perdem a força que precisam para ser ativadas. Portanto não a vida passar diante de seus olhos, não retroceda. 

Dê continuidade, aprenda a relaxar, a olhar muito de perto esses pensamentos que prejudicam você e contemple a vida com paciência. Não tente planejar cada milímetro de sua viagem, às vezes você simplesmente precisa ser inspirado por coincidências.

Por trás da química entre duas pessoas existem lições a serem compreendidas… - Anieli Talon (O Segredo)


Ter química com alguém é bicho brabo viu! Algo que tira o juízo e faz qualquer um de gato e sapato. Cria-se um vínculo movido pela atração, que não se sabe explicar muito bem de onde vem e não há nada que possa ser feito de imediato. Fica difícil evitar.

O fato é que, pessoas não passam por nossas vidas por uma obra do acaso, elas sempre trazem um propósito, uma história, uma lição a ser aprendida, uma experiência a ser vivida, ainda mais aquelas que trazem a química como atração principal.

Por isso, não há como ignorar que algo será revelado nessa alquimia toda. É inegável o fato de que esta pessoa será aquela que mais vai trazer lições para a nossa vida, pois serão elas que, de maneira ou outra, ficarão um tempo a mais em nossos lençóis, quartos e espaços íntimos… será com elas que criaremos algum tipo de laço íntimo e que trarão os nossos problemas para a superfície.

Elas refletirão o nosso recôndito da alma, pois um relacionamento nos dá um espelho de nossas emoções íntimas.

E esta necessidade química é mesmo uma droga. Entorpece, vicia e gera uma dependência surreal. Ao tentar se desfazer o ser é passível de sofrer por abstinência, e assumir o risco de sentir que só ali ele pode ser feliz.

E a química é a oportunidade devassa, deslavada e descarada que o “universo” encontrou para aproximar pessoas que precisam trocar experiências.

Relacionamentos serão sempre portas para grandes revelações e lições a serem compreendidas a fim de um amadurecimento pessoal e uma versão mais completa de nós.

As lições aparecem de formas desafiadoras, e nem sempre teremos o fim que queremos idealizados no amor romântico.

Por meio da química, é possível desbravar selvagemente o caminho do amor, e por meio dele trabalhar as questões reveladas pelo nosso ego.

Por vezes o amor se revela na soltura, no perdoar – o parceiro ou a nós mesmos – ou nos próprios desafios expostos pelo mestres do amor.

Sentimentos como insegurança, medo, desprezo, são os que mais serão despertos por quem mais desejamos. São sensações egoicas que, se bem trabalhadas, poderão lapidar um novo eu.

Àqueles por quem mais somos atraídos, mais têm lições a nos passar.

Aprenda a estar aberto aos ensinamentos e tire proveito para o seu desenvolvimento pessoal. O propósito da vida é o amadurecimento da alma, e ela acontece por meio de vivência obtidas nas relações humanas.

É uma prova de fogo, difícil e deliciosa de se enfrentar e que trará inúmeros aprendizados.

Por isso, jamais ignore o poder de atração que você tem com alguém. Este será, sem dúvida, o seu grande mestre do amor.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Você tem uma vida inteira para encontrar sua pessoa… fique solteiro por quanto tempo for necessário… (O Segredo)


Se você encontrar alguém que o faça mais feliz do que tudo, que faça você querer se tornar uma versão melhor de si mesmo, crie uma conexão com essa pessoa e passe a eternidade ao lado dela.

Mas se você ainda não encontrou uma pessoa assim, então fique solteiro pelo tempo que precisar. Não tenha vergonha de dizer isso aos seus tios quando perguntarem sobre a sua vida amorosa.

Não se sinta constrangido por ser o único dos seus amigos que ainda não se casou. Não se iluda acreditando que você ficaria melhor se estivesse em um relacionamento com alguém.

É melhor ficar solteiro do que estar com alguém que leva horas para responder suas mensagens, ou alguém que pensa estar fazendo um favor ao lhe dar o mínimo de atenção que você merece e fica bravo contigo por cada pequena coisa que você faz.

Ao invés de ficar com uma pessoa tóxica, ou alguém que é um amor de pessoa, mas você simplesmente não consegue sentir as faíscas da paixão, espere.

Espere um relacionamento onde os sentimentos são mútuos. Onde vocês dois estão loucos um pelo outro. Onde ambos podem imaginar um futuro que dura para sempre.

Você tem uma vida inteira a sua frente, tem tempo para perseguir seus sonhos. Agora é hora de formar novas amizades, hora de ganhar aquela promoção. E mais do que tempo suficiente para encontrar a sua pessoa eterna.

Você pode muito bem namorar por aí. Você pode beijar as pessoas erradas. Você está autorizado a se aventurar com diferentes relacionamentos, para ver que tipo de pessoas são certas para você e quais são completamente erradas; experimente!

Você está autorizado a escolher ficar em casa durante o fim de semana ou na cama durante as noites de baladas com os amigos. Você pode encontrar sua eterna pessoa no seu próprio ritmo.

domingo, 15 de outubro de 2017

Seja a mulher da sua vida - Leticia Flores Montalvão (O Segredo)


Seja inconsequente e pague por isso. Fique bêbada e pague a conta. Abra a porta do carro, banque uma rodada de choppe e, quando o dia não for de festa, simplesmente diga não. Diga não sem culpa, mas não sem educação. Seja breve na fala e detalhista no pensamento. Aperte firme a mão das pessoas. Sorria. Seja a frente de batalha da sua vida, sem colete à prova de balas. A vida, minha amiga, não é à prova de imprevistos.

E seja agora! Mas, não, não seja para os outros… nem por eles. Seja sua e por você. Vá na frente, dê o primeiro passo, mude de vida sem pedir a opinião dos outros, sem pedir a permissão do mundo. Descubra-se. Entenda-se. Faça terapia e, quando não der, faça compras. Seja inconsequente e pague por isso. Fique bêbada e pague a conta. Abra a porta do carro, banque uma rodada de choppe e, quando o dia não for de festa, simplesmente diga não. Diga não sem culpa, mas não sem educação. Seja breve na fala e detalhista no pensamento. Aperte firme a mão das pessoas. Sorria. Seja a frente de batalha da sua vida, sem colete à prova de balas. A vida, minha amiga, não é à prova de imprevistos. Não tenha filhos e, se tiver, permita-se ser a mãe que a natureza te formou para ser. Escolha. Viaje. Decida. E, quando ficar em dúvida, simplesmente admita. Venda seu carro, compre uma Komb. Ou, então, financie seu carro zero. Mude. De quarto, de casa, de roupa, de sonhos. Solte as mãos, abra os braços, corte o cordão que te prende ao passado. Não espere, vá. Leia, escreva, escute. Pare de assistir a novelas. Discuta, dispute, desculpe. Seja íntima de si mesma.

Seja a mulher da sua vida. Seja só sua. E não o faça de fachada, não tente impressionar. Impressione-se com a vida. Observe uma borboleta, alimente um gato, acaricie um cachorro. Permita-se ser sensível. Chore. Ser a mulher da sua vida não é ser mais homem, ser a mulher da sua vida é olhar-se no espelho e sentir orgulho do seu próprio sorriso. É respeitar suas próprias decisões em detrimento da opinião dos outros, mesmo que esses outros sejam a sua família. Ser a mulher da sua vida não é ser durona. Faça ioga ou boxe, mas faça o que você gosta. Descubra-se de novo. Perceba o que mudou. Você muda, o mundo muda; mas você muda, não muda nada. Corte os cabelos, nasça de novo. Ajude desconhecidos e aproveite milimetricamente o doce sabor de fazer a diferença na vida de alguém. Mas, antes disso, faça a diferença na sua vida!

Dirija o carro, pague o almoço, ponha o pau na mesa. Sim, você tem um pau bem grande chamado “amor próprio” e ele não está no meio das suas pernas, não. Ame-se. Ame-se muito. Ame-se acima de tudo. E depois de se amar tanto, ame-se mais um pouco. Ame-se sem maquiagem e sem estar em forma, porque do que adianta os elogios de outra pessoa se você mesma não enxerga sua beleza? Enxergue-se. Vista-se de coragem. Convença-se do quão foda você é e, se você não conseguir ser sua própria advogada, é porque ainda não entendeu o que é, verdadeira e intensamente, ser a mulher da sua vida.

Honre-se. Você não nasceu mulher à toa. Você não lutou até agora para se esconder atrás de seus próprios preconceitos. Seja a mulher da sua vida, mas não o seja pra conquistar macho ou apaixonar fêmea. Seja e pronto. E ponto.

E conto… te conto este segredo, que ao compreender este texto você encontrou o seu só seu (re)começo.