quinta-feira, 31 de maio de 2012

Entrevista com Silvio Santos (1987)















Documentario su Ronaldo - La Gazzetta dello Sport

Entrevista com Ronaldo, o fenômeno (Marilia Gabriela entrevista)

Entrevista com Fernanda Young (Marilia Gabriela entrevista)








Como controlar a agressividade (Programa Saia Justa)

Síndrome da falsa superioridade (Programa Saia Justa)

Insegurança, fim de relacionamentos por e-mail (Programa Saia Justa)

Diário de vida - Ateliê das Fórmulas - farmácia de manipulação

Só nos damos conta que a saúde é fundamental em nossa vida para que continuemos funcionando,  quando a "máquina" começa a apresentar defeitos.

O primeiro efeito colateral é a ida constante ao médico e o segundo o gasto desmedido com medicamentos.

Ainda bem que consigo pagar um convênio e obter grátis a maior parte dos remédios no posto médico. Isso é um alívio muito grande devido à enorme lista prescrita para a minha mãe.

O convênio também foi fundamental para a cirurgia cardíaca à qual ela teve que se submeter há quase um ano.

Ao começar a me entender melhor,  descobri que as doenças não existem, somos nós que as somatizamos, mas ainda não consegui aplicar totalmente na prática essa teoria. Infelizmente a minha "máquina" já não funciona tão perfeitamente. E eu também tenho que tomar alguns medicamentos, que felizmente consigo obter grátis.

A parte os remédios de uso contínuo, "somatizei" uma micose nas unhas dos pés. Como os medicamentos prescritos para combatê-la não fazem parte da lista de distribuição grátis, procurei uma alternativa para gastar menos e por recomendação de minha podóloga, Meire, conheci a "Ateliê das Fórmulas", localizada em Osasco. Fui muito bem atendida pela Katia que me explicou todos os procedimentos.

Eis o vídeo que um dos funcionários realizou.




MiniCurso O​nline EFT Perdão e AutoPerdão​, 3 horas duração - André Lima

Olá Pessoal,

Se você guarda sentimentos deraiva, mágoa, ou mesmo ódio de terceiros, de si proprio,contra situações ou instituições e deseja liberar essas emoções para se sentir em paz, vou ensinar como utilizar a EFT passo a passo para proporcionar a dissolução desses sentimentos durante o Mini Curso de EFT, Perdão e AutoPerdão no dia 12 junho das 19:30 as 23:00 conforme detalhes abaixo:


 Perdão é a sensação de alívio e paz que sentimos após a liberação de sentimentos negativos guardados.Não precisamos compreender o outro, nem concordar com o outro, nem voltar a nos aproximarmos de ninguém. Perdoar é apenas liberar nossas emoções, para acabar com o nosso próprio sofrimento. É algo que fazemos por nós mesmos.

A EFT também pode ser utilizada para  a liberação de culpa,arrependimento e mágoas de si próprio, para proporcionar a experiência do AutoPerdão.

Este Mini Curso será bastanteprático, com muita experiência conduzida de autoaplicação de EFT para que os alunos sintam alívio durante a aula.

Além da condução de sessões de autoaplicação, vamos ouvir durante a aula a gravação de um áudio de atendimento individual que vou fazer com um voluntário. Ao ouvir a sessão, estaremos todos nos autoaplicando EFT o que nos proporcionará excelentes ganhos emocionais, além de trazer mais compreensão sobre a condução da técnica.

Trabalhos em grupo costumam ter um efeito ainda mais profundo, devido a energia coletiva que é gerada.

Todos os detalhes sobre este Mini Curso (conteúdo, como se inscrever, formas de pagamento, valores especiais e etc.), veja:



Abraços,


André Lima - www.eftbr.com.br

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Palestra de Marilena Chauí - A contração do tempo e o espaço do espetáculo

Entrevista com Marilena Chauí (Programa Roda Viva de 1989)



























Aceleração e Depressão - Maria Rita Kehl (Café Filosófico)

A Difícil Tarefa de Tomar Decisões - Dr. Flávio Gikovate

Palestra com Dr. Flávio Gikovate - O amor que se vai (Café Filosófico)

Especial sobre Nietzsche - Viviane Mosé (Café Filosófico)

Marcia Tiburi fala sobre o tema da Felicidade







Entrevista com Gabriel Chalita (Sempre um Papo)

Nesta entrevista Gabriel Chalita fala sobre o livro "A ética do rei menino" e responde a perguntas feitas por crianças.


Vários assuntos - Leda Nagle (Programa Sem Censura)

Neste programa conduzido pela Leda Nagle temos as seguintes entrevistas:

A psicóloga Eda Fagundes fala sobre amizade.

A atriz Carla Faour fala sobre a peça "Obsessão".

As blogueiras Bebel Niemeyer, Maria Pia Marcondes e Ana Cecília Magalhães falam sobre o blog "40 forever"

O grupo "The Fevers" festeja 47 anos de carreira.



terça-feira, 29 de maio de 2012

Outra explicação para a origem da palavra patavina


O historiador Tito Lívio está ligado à origem da expressão


A frase, que significa não entender nada, vem de Patavium, nome em latim da cidade italiana de Pádua. Lá nasceu o historiador Tito Lívio (59 a. C. – 17 d.C.), cujas obras foram criticadas por escritores latinos devido ao dialeto que usava, tido como provinciano. “A idéia de não entender o estilo, a patavinidade de Lívio, foi cunhada por Asínio Polião (76 a.C. – 4 d.C.), gramático e político. Por extensão, assim foi chamado o modo de falar dos moradores de Patavium”, diz o professor de Filosofia Românica da Universidade Federal de Minas Gerais, César Nardelli. Não é difícil entender o preconceito, Pádua era parte da Gália, território localizado entre as atuais França, Itália, Bélgica e Alemanha. Lá, por causa das diversas tribos, ocorriam variações linguísticas – o que dificultava o entendimento da língua “patavina”.



(texto publicado no site http://guiadoestudante.abril.com.br)

A origem da palavra patavina - Fernando Kitzinger Dannemann


A cidade de Pádua, situada no nordeste da Itália, na região de Veneza Eugânea, próximo ao mar Adriático, era conhecida antigamente como Patavium. Por isso, outrora se dizia que o indivíduo natural de Pádua, ou então tudo aquilo referente a Pádua, era patavino, ao invés do paduano de hoje. Segundo a lenda, essa histórica localidade foi fundada pelo herói troiano Antenor, guerreiro que por sua justiça e imparcialidade foi poupado pelos gregos na destruição de Tróia e por isso considerado como traidor nas lendas posteriores. Segundo tais lendas, Antenor teria confiado aos gregos o Paládio, uma estátua representando Palas ou Minerva, venerada pelos troianos como penhor de salvação pública, abrindo aos invasores as portas da cidade e o ventre do cavalo de pau.



Ao longo de sua existência tumultuada Pádua foi conquistada pelos romanos, saqueada por Alarico I, rei dos visigodos, por Átila, rei dos hunos, também conhecido como o  flagelo de Deus, por Carlos Magno, rei dos francos e lombardos e imperador do Ocidente; dominada pela família Carrara e depois pela Áustria e finalmente incorporada à Itália. Nela se encontra o palácio da Razão, construído entre 1172 e 1219 e remodelado em 1420, e instalada em 1222 a universidade da qual foram professores Galileu e Falópio. Foi lá, também, que italianos e austríacos assinaram entre si o armistício na Primeira Grande Guerra.



Mas a Itália era rica em dialetos, que são diferentes  formas de linguagem derivadas de um único tipo, assim como o italiano, o francês, o espanhol, o português e o romeno, oriundos do latim clássico, tornaram-se línguas e deram origem a vários outros dialetos. O mesmo acontecia com a língua grega, falada numa extensa área que abrangia a Grécia, a Ásia Menor e Itália Meridional, e subdividida em um grande número deles, dos quais os principais eram o jônico, o ático, o dório e o eólio. Assim, cada região, província ou cidade italiana possuía o seu, e por isso, quando os franciscanos oriundos de Pádua iniciaram seu trabalho missionário entre os portugueses, estes não percebiam o sentido do que lhes era dito porque os religiosos utilizavam o linguajar falado em sua terra. Daí surgiu o comentário sobre o “não entendo o patavino”, referindo-se à dificuldade de compreensão da língua patavina, nascendo dele a expressão “não entendi patavina”, hoje usada para indicar que alguém não compreendeu coisa alguma do que lhe foi transmitido.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Dalla prima Repubblica al berlusconismo (1963-2000) Istituto Luce


Fra le due guerre, la dittatura (1923-1939) Istituto Luce


Dall'Unita' d'Italia a Giolitti (1861-1913)

Vita di Mussolini

Non ci resta che piangere - film con Roberto Benigni e Massimo Troisi


La legge è legge - film con Totò e Fernandel (raccomandato)


Mogliamante (esposamante)

Matrimonio all'italiana - regia di Vittorio De Sica con Sophia Loren e Marcello Mastroianni

Ι Girαsοli (1970) - con sottotitoli in inglese


L'amore che guarisce - la vita di Giuseppe Moscati



Profezie il futuro è gia scritto - Nostradamus

I Templari (History Channel)

Storia del Vaticano - I segreti di Angeli e Demoni


Entrevista com Ivete Sangalo (De frente com Gabi)









Entrevista com Eliana (De frente com Gabi)

Entrevista com Marcelo Tas (Programa do Jô)


Entrevista com Danilo Gentili (De frente com Gabi)

Humor da caneca (Programa do Jô)


Os Hermanoteu na terra de Godah - Os Melhores do Mundo

Notícias Populares - Os Melhores do Mundo


domingo, 27 de maio de 2012

Design de Sobrancelhas - 9 passos para ter Sobrancelhas Perfeitas


Óculos escuros ideal pra cada tipo de rosto (Programa Vida Melhor)

Aprenda a escolher a melhor armação de óculos (Jornal Hoje)

Hoyalux LifeStyle - A lente multifocal sob medida


Nódulos na tireóide - Dr. Evandro de Souza Portes (Vida Melhor)

Tireóide - Hiper e Hipotireoidismo - reportagem de Sandra Passarinho (Espaço Ciência e Tecnologia)


Cuidados e higienização das unhas - Dr Paulo Henrique Lucas (Programa Mulheres)



Você sabia que as unhas podem revelar doenças? - Dermatologista Carla Souza Perez

Mão Feita (Programa Mais Você)

Tratamento de micose de unha à laser (Programa Vera Toledo)

Piolhos (Programa Bem Estar)

Leitura corporal - caso Isabella



Linguagem Corporal na Prática - Giovanni Mileo


Why Shackleton Went to The Antarctic


Ernest Shackleton (documentário)





Robert Falcon Scott (documentário)





Diário de vida - Um dia de domingo em São Paulo

Apesar das dificuldades que ainda encontro em colocar em prática o que tenho aprendido nos cursos e nas leituras sobre autoconhecimento, ontem cumpri a minha meta de fazer uma bela caminhada com o meu par de tênis que apelidei de Mizúnico e hoje,  como gosto muito de pedras, apesar de não ter muito conhecimento a respeito de seus significados ainda, fui até à Feira da Praça da República e depois à Feira do Parque Trianon.

Antes de percorrer as barracas fiz um pitstop para tomar um lanche e "tropecei" em uma banca de jornal em plena Barão de Itapetininga, cujo dono fez um estoque de livros pertencentes a coleções que tinham sido lançadas há cerca de 5 anos agora a preço bem convidativo. Não pude deixar de comprar o volume Arte e Vida na Itália renascentista da coleção Grandes civilizações do passado.

Dei uma volta pela praça olhando todas as barracas, mas o meu objetivo eram as que vendiam pedras. Em uma delas toquei em uma pedra de pirita e senti uma energia me chamando para adquiri-la. Não a comprei de imediato e só após ter dado uma olhada nas outras barracas voltei e a comprei.

Depois peguei o metrô e fui até ao Parque Trianon e lá adquiri algumas pedras que não tinha ainda, inclusive uma de jade da qual gosto muito.  Daqui a pouco vou energizá-las.

Dali fui a pé até ao final da Av. Paulista onde peguei o ônibus de volta para casa, mas não pude deixar de dar uma passada na feirinha na entrada do Center 3. Adquiri alguns imãs (de cães e gatos pra variar) e aproveitei que já estava ali e almocei um belo prato de ravioli verdi (con ripieno di mozzarella di bufala). Estavam deliciosos!!!

O tempo ajudou muito porque fez sol o dia inteiro.

Uma das coisas que tenho aprendido é tirar prazer das pequenas coisas!!! Foi um domingo tranquilo, em completa paz!!!!

Feiras de artesanato e antiguidades em São Paulo

A cidade de São Paulo é o paraíso de todos os tipos de compradores - dos que precisam de algum item específico aos milhares de revendedores que desembarcam diariamente na capital paulista. Há produtos para qualquer necessidade, de um alfinete até um objeto de luxo. Presentear amigos, familiares e companheiros de trabalho também é uma missão fácil para quem visita São Paulo. Não faltam opções, que atendem a todos os gostos e bolsos.

A metrópole está repleta de bazares, shoppings, ruas temáticas e muito mais. Nenhuma outra cidade do País tem tantos exemplares desses templos de compras. E quando o assunto são as feiras, o município não deixa a desejar. São mais de 900, com opções que vão desde os artigos mais procurados até os mais inusitados. Entre as de artes e artesanato, as mais famosas são a da Praça da República e do Trianon, na avenida Paulista. A mais badalada delas, no entanto, provavelmente é a da Praça Benedito Calixto. Freqüentada por um público um pouco mais exigente - inclusive artistas e decoradores -, acontece todos os sábados, das 8h às 19h. São cerca de 300 vendedores que comercializam, além do artesanato, antiguidades, roupas novas e seminovas, discos de vinil (LPs), brinquedos, louças e móveis rústicos e descolados.

Curiosa também é a Feira da Liberdade, na praça e bairro de mesmo nome, reduto da colônia japonesa na cidade. Acontece há cerca de 30 anos, aos sábados e domingos, com mais de 200 barracas que oferecem bijuterias, almofadas, luminárias japonesas, bonsais, peixes de aquário e quinquilharias em geral, além de muitos artigos orientais. Há também várias barracas de comida, com verdadeiras delícias típicas, como yakisoba e tempurá.

Mas para quem procura somente por antiguidades, há outras mais específicas, como a do Bixiga, na Praça Dom Orione, que ocorre aos domingos e oferece desde revistas, livros e roupas até vitrolas, lustres, móveis e peças decorativas. Os antiquários da região também costumam abrir para aproveitar a clientela. Já a do vão livre do Masp, na Avenida Paulista, há 20 anos reúne, todos os domingos, colecionadores e expositores e recebe milhares de pessoas à procura de raridades, quadros, esculturas, luminárias, candelabros, moedas antigas e objetos para a casa.

Próxima ao Museu de Artes de São Paulo, mas do outro lado da mesma via, fica uma feira de artesanato chamada Feira do Trianon (fica em frente ao Parque Tenente Siqueira Campos, conhecido como Trianon). Lá os visitantes podem encontrar enfeites, velas, bijuterias, roupas, sabonetes, incensos e objetos esculpidos em madeira, entre outras curiosidades. Na mesma região fica a Feira de Arte e Artesanato e Cultura José Bonifácio, que reúne cerca de 50 expositores às quintas, sextas e sábados, entre 8h e 17h, no centro velho da capital.

As feiras de antiguidades do Museu Brasileiro de Escultura (Mube) e do shopping Eldorado também são ótimas opções. Além delas, há ainda a Feira de Artes da Praça Gentil Falcão, próxima à Avenida Luis Carlos Berrini, no Brooklin. Inaugurada em outubro de 2007, funciona das 9h às 16h, às terças-feiras, e tem mais de 60 expositores oferecendo artesanato, artes plásticas, culinária oriental, chocolates artísticos e doces sírios, entre os produtos. Outro atrativo na região da Berrini é a Feira de Artes e Artesanato Guararapes, que abre às quartas-feiras, das 10h às 16h.

Ainda na zona sul, a Feira de Moema e a Feira Santa Rita são também boas opções. Conhecida pelo alto nível dos produtos expostos, a Feira de Moema promove apresentações artístico-culturais em alguns domingos do mês. Lá encontram-se artigos de artes plásticas, artesanato, pedras, comidas típicas, artigos de couro, roupas, crochê e bijuterias. Em Santa Rita, as barraquinhas têm sempre alguma novidade em bijuterias, artigos de couro, objetos de decoração, patchwork, cordados, tear, telas e quadros, além de delícias da culinária oriental, como yakisoba e tempura.
Serviço:
Benedito Calixto
Praça Benedito Calixto, s/n - Pinheiros (Metrô Sumaré)
Horário: Sábado, das 8h às 18h

Bixiga
Praça Dom Orione - Bela Vista (Bixiga)
Horário: Domingo, das 10h às 18h

Gentil Falcão
Avenida Luis Carlos Berrini, altura do n° 1.000 - Brooklin
Horário: Terça, das 9h às 16h

Guararapes
Praça Enéias Martins Nogueira (travessa da Avenida Luis Carlos Berrini)
Horário: Quarta, das 10h às 16h

LiberdadePraça da Liberdade, s/n - Liberdade (Metrô Liberdade)
Horário: Sábado e domingo, das 9h às 17h

MaspAvenida Paulista, 1.578 - Centro (Metrô Trianon/Masp)
Horário: Domingo, das 10h às 17h

Moema
Praça Nossa Senhora Aparecida, s/nº (entre as avenidas Ibirapuera e Moema)
Horário: Quarta, sexta e domingo, das 9h às 17h
MubeAvenida Europa, 218 - Jardim Europa
Horário: Domingo, das 10h às 18h

RepúblicaPraça da República (acesso pela Avenida Ipiranga) - Centro (Metrô República)
Horário: Sábado e domingo, das 9h às 17h

Santa RitaPraça Santa Rita de Cássia, s/nº (próximo ao metrô Praça da Árvore)
Horário: Terça e sábado, das 9h às 17h

Shopping Eldorado
Avenida Rebouças, 3.970 - Pinheiros
Horário: Domingo e feriados, das 12h às 20h

TrianonAvenida Paulista, s/n (esquina da Rua Peixoto Gomide) - Cerqueira César (Metrô Trianon/Masp)
Horário: Domingo, das 10h às 17h




Scienza e arti marziali - il corpo a corpo

L'alchimia in Harry Potter (Voyager)

sexta-feira, 25 de maio de 2012

I Longobardi (History Channel)


Inglês com Música: Cruisin' (do filme Duets) - apresentação da professora Marisa Leite de Barros e da cantora Amanda Acosta

Barry Gibb Florida Concert 2012


Corso di ipnomentalismo a Roma - Dr Marco Paret

Se hai sempre voluto imparare le tecniche e i segreti dei Mentalisti con la "M" MAIUSCOLA, hai l’occasione di partecipare ad un evento straordinario.

Due giornate intense e indimenticabili in cui apprendere tutte le tecniche per imparare a influenzare e decifrare la mente e i pensieri degli altri, usando semplicemente la tua di mente e nient’altro!
Ipnomentalismo è il nome di una disciplina che si basa sull'induzione di stati ipnotici e trances di vario tipo per poi eseguire con i soggetti partecipanti effetti di tipo mentalistico senza altro aiuto che la comunicazione non verbale, poche parole e ovviamente la propria mente.

Si tratta di una disciplina spettacolare con risultati spesso impresssionanti non solo per il soggetto ma anche per lo sperimentatore.

Può accompagnare l'ipnosi da dimostrazione oppure essere eseguita a sè stante.

Nell'ipnomentalismo rientrano anche vari sistemi per "scoprire la verità" e scoprire i pensieri che si basano sull'incrementare le risposte inconscie del soggetto.

Nel corso introdurremo ovviamente anche tecniche più classiche come lettura della comunicazione non verbale in tutte le circostanze (per la vendita, per le relazioni), una applicazione del metodo ennea per creare trances, utile per la comunicazione professionale e vari metodi di fascinazione.

Vuoi far sì che i tuoi pensieri vengano come trasmessi e farli mentalmente  eseguire con l’ipnomentalismo?

Vuoi sapere se qualcuno ti sta mentendo o dicendo la verità?

Vuoi conoscere le tecniche più segrete di fascinazione ipnotica?

Il corso di ipnomentalismo da dimostrazione che si svolgerà a Roma il 23 e 24 giugno ti farà acquisire tutte le abilità necessarie.

Due giornate intense e indimenticabili in cui apprendere come essere un MENTALISTA nella vita di tutti i giorni.

Le tecniche che impari nel corso sono utili anche per qualsiasi situazione in pubblico, per conferenze, e contengono principi applicabili anche nella vita di tutti i giorni.
Nel corso vi daremo anche strumenti per un'inarrestabile fiducia in voi stessi e le chiavi dell'autoipnosi, sia per presentarsi in pubblico, sia per il lavoro o per altre utilità.

Ecco brevemente cosa imparerai in questo corso:

Tecniche avanzate di ipno-mentalismo. Creare il setting. Indurre le reazioni. La risposta del corpo. I segreti per dare l'impulso di trasmissione del proprio pensiero coi soggetti giusti usando solo la tua mente e nient’altro.

Lettura dei segnali inconsci. Per individuare la personalità degli altri in pochi secondi, per scoprire le menzogne e influenzare

I vari livelli della trasmissione del pensiero. Per usare quello giusto al momento giusto.

Forzatura ipnotica e giochi verbali. Per portare gli altri in modo occulto, dove vuoi tu.

Inganni della mente e giochi psicologici. Saprai come ”prendere per mano” la mente degli altri e condurla a un ragionamento illusorio.

Effetti della mente sul corpo. Dimostrazioni pratiche di come la mente può condizionare il nostro corpo.

Routine professionali da dimostrazione. Apprenderai le routine (usando solo la tua mente) più spettacolari e divertenti. Scoprirai anche come crearne di nuove.

……… e molto altro ancora

Clicca qui per avere maggiori informazioni sul prossimo esclusivo corso di

"CORSO DI IPNOMENTALISMO"
che si svolgerà a Roma il 23 e 24 giugno!

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Eu odiei o que ela falou de mim - Rodrigo Santiago (Life Coach)

Talvez a coisa mais infantil e ultrajante que um ser humano pode fazer na vida inteira é reclamar e se sentir mal porque foi criticado.

Infelizmente, esse tipo de infantilidade permeia toda a nossa cultura.

É um fenômeno ONIPRESENTE.

"Eu odiei o que fulano falou de mim!"

Bom... Você sabe do que estou falando.

Se eu pudesse, em um piscar de olhos eu ERRADICARIA esse tipo de comportamento do planeta!!  Por quê?

Se você tomar alguma ATITUDE frente às críticas, então são exatamente elas que lhe manterão na melhor direção.

Elogios só criam uma zona de conforto.

Por isso, AME AS CRÍTICAS e AJA.

Não tenha medo delas. Não se sinta mal.

Não fuja. Não as afaste de você.

Não chore por causa delas.

Não odeie quem as dirige.

Receba-as de forma aberta.

Não arrume desculpas nem explicações pra se distrair.

Não seja parte da manada, porque é fato comprovado que, hoje, 10% dessa manada está DEPRIMIDA, e muitas outras vivem "monotonizadas".

E um dos maiores motivos pra esse MARASMO onipresente é JUSTAMENTE porque muita gente "detesta receber críticas".

Por causa dessa reação, pessoas ficam sem sonhos.

Sem alegrias. Apenas aquela monotonia. A rotina. A mesmice.

Ou pior: a RAIVA.

Viver em um estado de apatia ou antipatia é HORRÍVEL...

Mas, principalmente, desnecessário.

Se você ainda não se livrou disso, então seja diferente. Coloque-se à parte.

Eu estou procurando fazer a minha parte também.

Para isso, nesse momento, eu quero a SUA crítica.

Tenho plenas esperanças de que assim você VAI me ajudar a melhorar como ser humano.

Mas não me venha com aquela historinha de "crítica construtiva".

Eu quero da DESTRUTIVA!


(Texto recebido do Espalhe o Amor)


Desabamento cultural - Assimina Viahou

Monumentos que resistiram a 2 mil anos de história e à erupção de vulcões, a terremotos, guerras e atos de vandalismo podem ruir sob a atual crise econômica, o descaso e a burocracia da Itália.

No final do ano passado a opinião pública internacional se chocou com os desabamentos que ocorreram em alguns dos monumentos e dos sítios arqueológicos italianos visitados por milhões de turistas do mundo inteiro. Em poucos meses, fragmentos de parede despencaram do Coliseu, desabou o teto da Domus Aurea - a casa dourada de Nero, o imperador que incendiou Roma , e a Escola dos Gladiadores, em Pompeia, veio abaixo. Não foram acidentes inesperados.

Há anos associações de defesa do patrimônio histórico e artístico, assim como especialistas de arte e arqueologia italianos, alertam para o péssimo estado de conservação de monumentos, palácios e sítios arqueológico em todo o país, necessitados de restaurações urgentes ou, na maioria dos casos, de rotineira e constante manutenção. Muitos permanecem fechados. O problema é que o patrimônio cultural da Itália é vasto e os fundos necessários para a conservação devem atender a uma grande demanda.

Os recursos à disposição, mesmo para a manutenção ordinária, não são suficientes. Por isso, o Ministério da Cultura quer incentivar cada vez mais a participação de capitais privados para financiar a conservação do patrimônio. As verbas que o governo passa para o ministério caíram pela metade nos últimos dez anos e novos cortes deverão ser feitos com o plano de austeridade aprovado pelo Executivo, em julho, para fazer frente à grave crise econômica que toda a Europa atravessa. Sob o temor dos mercados de que a Itália possa seguiro o rumo da Grécia, o governo Silvio Berlusconi, enfraquecido e ameaçado por disputas internas, processos judiciais e escândalos, aprovou uma redução de gastos de cerca de 80 bilhões de euros. A penúria cultural vai aumentar.

Verba curta

"O pacote econômico vai piorar uma situação que já é dramática. O desastre vem de muitos anos, desde que o país deixou de investir em cultura", afirma Maria Borletti Buitoni, presidente do Fundo para o Ambiente Italiano (FAI), associação sem fins lucrativos que promove e restaura monumentos, palácios e parques com fundos provenientes de doações privadas. "Não é possível fazer a manutenção de um patrimônio como o italiano com a verba mais baixa do setor na Europa." Diante da solicitação de uma lista de monumentos sob maior risco de desintegração, a especialista usa a ironia: "Não é necessário. A Itália está cheia de casos graves. Basta abrir a janela e olhar para fora."

De fato, o país concentra o maior número de sítios declarados como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. São 47, mas 23 deles encontram-se em estado tão crítico de conservação que o futuro já está comprometido, segundo um levantamento realizado pela Legambiente, um dos principais grupos ambientalistas italianos. Entre os casos mais graves estão os monumentos dos primeiros cristãos, em Ravena; o Palácio de Caserta, em Nápoles; e a cúpula da Catedral de Florença (Santa Maria del Fiore), projetada pelo arquiteto Filippo Brunelleschi.

Em Roma, além do Coliseu e da Domus Aurea, que sofreu vários desabamentos e está fechada para o público desde 2008, as Muralhas Aurelianas, construídas no século 3, e o palácio do imperador Adriano, nos arredores da capital, correm sério perigo e precisam de reforma urgentes. Pompeia e Veneza também estão na lista dos sítios em perigo.

O desabamento da Escola de Gladiadores, em Pompeia, levou os desolados técnicos da Unesco a fazer uma vistoria em toda a área arqueológica da cidade soterrada pelo vulcão Vesúvio. Os especialistas deram um prazo até 2013 para que sejam realizadas obras de manutenção. No ano 79, a cidade foi soterrada por uma violenta erupção que cobriu tudo com seis metros de lava e cinzas, congelando aquele momento da história durante séculos, até as primeiras escavações, em 1748, trazerem à luz os restos de uma cidade próspera e os sinais dramáticos da tragédia. A área arqueológica de Pompeia tem cerca de 400 mil metros quadrados, dimensão que dificulta a conservação do patrimônio, segundo o crítico de arte Vittorio Sgarbi. "Mesmo com mais recursos à disposição, haveria dificuldades, pois a área é muito grande e algumas partes permanecem fechadas. Pompeia não é o problema mais grave, é apenas o mais comentado", explica.

Veneza é outra emergência na lista de organizações de defesa do ambiente e do patrimônio artístico, como a Italia Nostra, que enviou uma carta à Unesco questionando se a cidade ainda pode ser considerada Patrimônio da Humanidade. A presidente da organização, Alessandra Mottola Molfino, alega que a presença maciça de turistas e o sistema de comportas que está sendo construído para conter os alagamentos provocados pela máre alta da laguna onde a cidade está instalada podem afundá-la. "Veneza corre o risco de ser destruída pelos grandes projetos de infraestrutura, que podem alterar de forma irreversível o delicado equilíbrio que a manteve até hoje", afirma na carta.

Mais do que a falta de recursos, a burocracia e a má gestão dos fundos disponíveis são apontados como as principais causas da degradação do patrimônio histórico nacional, argumentam especialistas como Vittorio Sgarbi. "Nenhum país gasta tanto com os bens culturais quanto a Itália, se juntarmos a verba das regiões, das províncias, dos municípios, das fundações bancárias e privadas. O problema é como as estruturas se movem. A burocracia é muito lenta", diz o crítico de arte.

O excesso de burocracia chega a impedir a colaboração de entidades privadas com recursos próprios na gestão e conservação dos bens seriamente ameaçados. Com receio de que seu orçamento seja malgasto, o Ministério da Cultura precisa fazer tantos controles que acaba nem gastando, segundo a presidente da FAI. "A máquina administrativa italiana é profundamente ineficiente", observa Ilaria Buitoni.

Conservar o patrimônio artístico não é só uma questão de patriotismo, mas uma necessidade e um investimento para incentivar o turismo, no momento em que o país, embora seja a terceira maior força econômica da zona do euro, registra um dos menores crescimentos econômicos da região. A Itália não possui petróleo, metais preciosos ou grandes extensões de terra. Sua principal riqueza é o patrimônio cultural, fonte importante de divisas. Aproximadametne 45 milhões de pessoas visitam todos os anos o Bel Paese em busca de seus monumentos históricos, suas cidades de arte e belezas naturais. "Esse é um setor que representa 10% do PIB do país, embora nunca tenha merecido um plano sério de política econômica", diz Matteo Marzotto, presidente da Empresa Nacional Italiana para o Turismo (Enit).

Alavanca econômica

Estudo realizado pela Câmara do Comércio da cidade de Monza estima o valor da "marca", da imagem dos monumentos italianos, que contribuiu para a competitividade do país, em 600 bilhões de euros. "A cultura é o petróleo da Itália", diz um dos homens mais influentes do país, Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, a marca que representa o talento, o estilo e a competência do made in Italy, orgulho dos italianos. "O ponto forte da empresa Itália se resume em dois conceitos: cultura e turismo, que podem ser o motor da economia. Temos o mais vasto e rico patrimônio cultural do mundo. Ninguém tem uma oferta como a nossa", afirma.

Para defender a imagem da Itália e o seu mercado cultural estão surgindo versões modernas de mecenas, como antigamente foram os Médici, em Florença, e o papas, em roma, na época do Renascimento. Motivados por um misto de orgulho nacional e visão empreendedora, dedicam-se a salvar monumentos e cidades da ruína. Com a fundação Itália Futura, o aristocrata Montezemolo capta recursos para financiar obras urgentes, como a revitalização do Porto de Gênova, e promove encontros para atrair a contribuição de mais empresários para projetos semelhantes.

Diego Della Valle, dono de uma das marcas de maior prestígio da moda italiana, o Grupo Tod's, conhecido pelos calçados de luxo, virou exemplo desse novo mecenato ao financiar as obras de reforma do Coliseu. Após doar 5 milhões de euros para o teatro de ópera Scala, de Milão, agora ele vai desembolsar mais 25 milhões de euros para a restauração do monumento mais famoso de Roma. A operação se tornou a maior participação de uma empresa privada nesse tipo de projeto. "A iniciativa concretiza o desejo de proteger e promover a nossa cultura. Isso ajuda as empresas que operam na Itália e no exterior", comenta Della Valle.

Com dois mil anos de vida, o gigantesco Anfiteatro Flavio, o verdadeiro nome do Colieu, é um dos monumentos mais visitados do mundo. Embora receba em torno de 25 mil pessoas por dia, sua gestão é ineficiente. Diante do que resta da grande arena onde combatiam gladiadores, que se tornou símbolo do martírio cristão, é difícil imaginar sua grandiosidade e beleza. Ao longo dos séculos, o Coliseu foi destruído e saqueado. Os materiais usados para erguer e decorar o anfiteatro acabaram na construção de igrejas e palácios romanos, e o edifício foi despido de mármores e detalhes.

As obras de restauração, esperadas há 30 anos, vão começar no final deste ano e devem eliminar as manchas escuras da fachada, deixadas pela poluição dos automóveis que circulam em seu entorno, no centro de Roma. Serão instalados novos portões, a área subterrânea será restaurada, o acesso para pessoas com deficiências físicas será facilitado e o espaço aberto ao público, ampliado.

"A Itália precisa do mecenato", anunciou o prefeito de Roma, Gianni Alemanno, que penou para encontrar um patrocinador que se comprometesse com a revitalização do monumento. Além de pagar as obras, o Grupo Tod' promete divulgar o projeto de restauração, para que jovens e idosos conheçam o Colieu, e renunciou a obter vantagens econômicas com a operação. "Trata-se de um projeto de mecenato em retorno econômico, publicitário ou comercial", informa um comunicado oficial.

Diego Della Valle está decidido a continuar a campanha em defesa dos monumentos italianos e quer convencer outros empresários a seguir o mesmo caminho por meio de uma nova ação, chamada Projeto Itália. "Espero que outras pessoas e empresas, orgulhosas da nossa cultura e do nosso país, sigam essa iniciativa, pois isso faria bem para a nossa imagem no mundo", diz Della Valle. O magnata dos sapatos chiques promete, agora, que vai procurar patrocinadores para investir na recuperação de Pompeia e Veneza.


(texto publicado na revista Planeta de setembro de 2011)