sábado, 31 de outubro de 2015

7 conselhos práticos para reduzir o estresse (Melhor com Saúde)


Para que possamos evitar o estresse, devemos apostar em uma série de mecanismos de defesa, como por exemplo a meditação ou a prática de atividade física.

Infelizmente, podemos dizer com segurança que o estresse faz parte da vida de uma grande parcela da população, principalmente para os que vivem em meio ao agito e à pressa das grandes cidades mundiais.

Embora ele esteja presente em nosso dia a dia, não devemos simplesmente aceitá-lo, e sim criar alguns comportamentos e atitudes que possam, pelo menos, nos ajudar a reduzi-lo o máximo possível.

O estresse pode afetar não apenas a nossa saúde emocional, mas também a física, quando se transforma em algo crônico em nossas vidas. Por este motivo, hoje iremos compartilhar sete dicas que podem ajudá-lo a manter o estresse sob controle, e não deixar que ele afete tanto a sua qualidade de vida.

Além disso, também iremos falar sobre dois remédios naturais que podem ser de grande ajuda neste objetivo.

Dicas práticas para reduzir o estresse

Ouça música

Estudos mostram que músicas relaxantes, como a música clássica, provocam um efeito positivo no cérebro e no corpo, além de reduzir a pressão arterial e reduzir o cortisol, um hormônio associado ao estresse.

Se quiser, você também pode ouvir sons da natureza que estão disponíveis online, como o cantar dos passarinhos ou o som do oceano, que oferecem efeitos similares.

Mantenha uma dieta saudável

Muitos não sabem, mas a dieta está muito relacionada ao estresse. O consumo exagerado de açúcar, por exemplo, pode causar picos de insulina no sangue e provocar ataques de ansiedade.

O ideal para combater o estresse é manter uma alimentação saudável e balanceada, rica em frutas e vegetais repletos de nutrientes, vitaminas e minerais. Inclua também peixes, como o salmão e o atum, já que os altos níveis de ácidos graxos ômega 3 também são de grande ajuda.

Pratique exercícios físicos

A atividade física funciona como uma válvula de escape para liberar o estresse e a tensão do dia a dia. Além de favorecerem a circulação sanguínea, as endorfinas liberadas durante a prática de exercícios proporcionam uma sensação imediata de bem-estar.

Lembre-se de que atividade física não necessariamente quer dizer correr na esteira ou fazer musculação; escolha algo que você realmente goste de fazer, pois assim você obterá muito mais benefícios. Que tal uma aula de dança, por exemplo?

Faça meditação

A meditação é uma excelente maneira de aliviar o estresse e relaxar o corpo e a mente. É algo simples, não tem custo nenhum, e não requer nenhum equipamento especial, apenas a vontade de praticá-la.

Existem várias técnicas diferentes, e apenas alguns minutos por dia podem ajudar a restaurar a calma e a paz interior. Vale a pena tentar!

Durma bem

O estresse faz com que tenhamos dificuldade para dormir bem, e quanto menos dormimos mais estresse sentimos. Assim, tem início um círculo vicioso do qual não conseguimos sair.

Esforce-se para criar uma rotina de sono saudável e dormir entre sete e oito horas por noite. Desligue os aparelhos eletrônicos mais cedo, tome um banho relaxante, e administre bem o seu tempo para conseguir pegar no sono na hora apropriada.

Faça uma automassagem

Uma massagem feita por um massagista especializado é uma ótima alternativa para aliviar o estresse, mas muitas vezes não temos tempo (nem orçamento) para este tipo de mimo.

No entanto, você pode apostar na automassagem para obter benefíciossimilares. Experimente massagear seus pés ou o couro cabeludo fazendo movimentos suaves e circulares. Se mantiver o ambiente com uma luz mais baixa e uma música relaxante, melhor ainda!

Entre na sauna

Você tem acesso a uma sauna no seu prédio, na academia ou no clube? Se sim, use-a depois de praticar atividade física. Quando a temperatura do nosso corpo aumenta, pesquisas comprovaram que a tensão muscular e a ansiedade se dissipam, e nos sentimos muito mais relaxados.

Além disso, o calor pode alterar circuitos neurais que melhoram o humor.

Remédios naturais para reduzir o estresse

Além de incluir no seu dia a dia as atividades e hábitos que mencionamos anteriormente, você pode obter uma ajuda extra destes dois remédios naturais.

Infusão de manjericão

O manjericão ajuda o corpo a alcançar um bom rendimento mental e físico.Você pode mastigar 12 folhas diariamente, ou então fazer uma infusão com uma colher de manjericão (10 g) para cada copo de água (250 ml).

Basta ferver a água e fazer uma infusão com o manjericão durante 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber.

Infusão de bálsamo

Outra boa opção para aliviar os principais sintomas do estresse e contribuir para o relaxamento. As medidas são as mesmas, uma colher de bálsamo (10 g) para um copo de água (250 ml).

Basta preparar a infusão como feito na receita anterior.

Como escolher um personal trainer?


Estamos no segundo semestre de 2015 e a busca pelo corpo ideal para o verão do próximo ano já começa a fazer parte da agenda de milhões de pessoas pelo Brasil. Nesta lista de objetivos de muitas pessoas está a procura por um personal trainer para acompanhar as suas atividades físicas.

E esta busca nem sempre é fácil. Normalmente, o profissional é escolhido através de uma indicação, que pode vir de amigos, conhecidos ou até mesmo a partir da academia. Porém, o educador físico Cristiano Parente, eleito em 2014 o melhor Personal Trainer do Mundo pela Life Fitness Mundial, alerta sobre várias questões, como planejamento, habilitação profissional e conhecimento que devem fazer parte desse processo de seleção.

"O ideal é selecionar um profissional que seja habilitado e classificado, através da graduação, pós-graduação e cursos de aperfeiçoamento, pois este profissional poderá fazer seu cliente atingir objetivos com saúde e planejamento", recomenda Cristiano. A seguir, confira sete dicas para escolher um personal trainer.

Procure um profissional habilitado - Todo personal trainer precisa ser registrado no Conselho Regional de Educação Física. É uma obrigação legal e todos que têm registro estão autorizados a trabalhar na área. Sem esse registro, não pode atuar.

O profissional deve preservar a sua saúde - Preservar a saúde acima de tudo. Esse dever ser o lema do bom personal trainer. A primeira coisa a se levar em conta, quando se fala em atividade física, é a saúde. Estética faz parte da saúde mental e não deve se sobrepor à saúde física. A utilização de substâncias ilegais pode trazer risco à saúde e fazer mal ao corpo. E o profissional que indica este produtos não está preocupado com a saúde, além de fugir da ética da profissão. Então, cuidado, dê preferência ao personal que respeita os seus limites e traça objetivos que estejam envolvidos de maneira saudável no dia a dia.

Qualificação e estudo constante - Na hora de contratar um personal, pergunte sobre sua formação, faculdade, os cursos que já fez e como ele se atualiza. Verifique se é um profissional que se atualiza com frequência ou se parou no tempo e já está defasado. Numa comparação, você não gostaria de, por exemplo, fazer uma cirurgia de joelho com um médico que utiliza técnicas da década de 70, certo? Então, certifique-se de que o personal que está contratando utiliza técnicas atuais, mais modernas e eficientes. O profissional deve estar atualizado com relação ao exercício, corpo, envolvimento, adesão, aderência, psicologia, etc. O aluno deve procurar um personal que entenda de pessoas como elas são hoje, que a cada dia esteja se renovando, fazendo cursos e especializações constantemente.

O bom profissional transmite conhecimento - Para identificar melhor o bom profissional, é importante observar que o personal que ensina, transmite o conhecimento relacionado com o exercício, com o corpo, faz a pessoa entender o esforço que ela está fazendo, de modo que se sinta confortável e entenda melhor as execuções dos movimentos. Dessa forma, o aluno pode compreender como conseguirá alterar o seu corpo. Então, a dica é um profissional que se dedique e se preocupe com a transmissão de conhecimento.

Histórico profissional - Mais um item interessante nesse processo de escolha é conhecer os locais onde o profissional já trabalhou, o que ele já fez, quais são as instituições que ele criou ou mantém vínculo, e até mesmo perguntar se ele tem algum método desenvolvido. Observe a divulgação do trabalho dele nas mídias sociais. Veja como ele se divulga e divulga o trabalho dele: se é de maneira voltada para a saúde e bem-estar ou se não tem tanto compromisso com esse lado.

Um profissional para cada público - Sobre a especialidade, todo profissional tem o seu público específico. Aquele que trabalha com qualquer público não conhece em profundidade todos os públicos. Novamente, cabe o exemplo da medicina. O médico que cuida da pele não é o médico que cuida do coração. Da mesma forma, o profissional que cuida do idoso e se dedica a cuidar muito bem desse público, não será muito bom, por exemplo, para cuidar de crianças. Para atender bem ao idoso, o profissional demandará o tempo dele focando nos estudos e atualizações relacionadas a este público, na psicologia para essa faixa.

Planejamento e evolução - Para ter um bom profissional ao seu lado, ao conversar com ele você pode perguntar: existe um planejamento? Existe um tempo de planejamento? Como se dará a evolução ao longo do treino? Em quanto tempo ocorrerá cada transformação ao longo do treino? As respostas que o corpo dará dependerão do envolvimento do aluno, claro, mas o aluno deve saber o que o profissional planejou e quais mudanças devem acontecer ao longo de um determinado período.



(texto publicado no jornal Imóveis - edição 383 - ano II - setembro de 2015)

Peter's friends soundtrack


Tears for fears - Everybody wants to rule the world



Nina Simone - My baby just cares for me



Queen- You're my best friend



Cindy Lauper - Girls just want to have fun



Terence Trent d'Arby - If you let me stay



Bruce Springsteen - Hungry heart



The pretenders - Don't get me wrong



Prefab Sprout - King of rock 'N' roll



Tina Turner - What's love got to do with it



Eric Clapton - Give me strenght



The Pasadenas - Let's stay together



Michael Nesmith - Rio



Paul Young - Wherever I lay my hat (tha's my home)



Elton John - I guest that's why they call it the blues



Daryl Braithwaite - As the days go by








Recomendado: Peter's friends (sem legendas) - filme com Kenneth Branagh, Emma Thompson, Stephen Fry e Hugh Laurie
































A garota do adeus (The goodbye girl) - com Richard Dreyfuss e Marsha Mason


The Weiss family holocaust (sem legendas) - série com Meryl Streep e James Woods





Emoções e somatizações




sexta-feira, 30 de outubro de 2015

A crise segundo "Einstein"


Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor bênção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos.

A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar "superado".

Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência.

O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis.

Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um.

Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo.

Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la".

Há momentos - Clarice Lispector


Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos sonhos e abraçá-lo.

Sonhe com aquilo que você quiser. Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chance de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seu caminhos.

A felicidade aparece par aqueles que choram. Para aqueles que se machucam. Para aqueles que buscam e tentam sempre. E para aquele que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente vivido. Você só terá sucesso na vida quando perdoar os erros e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma eternidade. A vida não é de se brincar porque um belo dia se morre.

Paulistanas Nota Dez: Adriana Pereira e Danielle Souza - Luan Flavio Freires


Nome: Adriana Pereira e Danielle Souza
Profissões: empresária e auxiliar administrativo
Realidade que transformaram: conseguiram lar para cerca de 300 animais abandonados nas ruas de Perus

Ao chegar à Votre, empresa que faz ajustes em balanças industriais no bairro de Perus, na Zona Norte, o visitante é recebido por cachorros abanando o rabo e gatinhos se entrelaçando entre suas pernas. Pela escada, sobre os móveis e até em cima de uma carreta, eles esperam por um dono. O local pertence a Adriana Pereira, de 35 anos, que se associou em outubro de 2013 a Danielle Souza, 23, sua auxiliar administrativa, no projeto Adote os Animais de Perus, criado um ano antes. Trata-se do nome de uma página no Facebook pela qual é possível adotar os peludos tirados das ruas. "Eu convivia com muitos pets na infância, na casa da minha avó, e fico aflita ao ver os que estão abandonados por aí", diz Danielle.

Antes de serem apresentados na rede social, os bichinhos são alimentados, castrados, vacinados e fotografados (frequentemente com roupas bonitinhas). Ficam na empresa até algum internauta os requisitar. Quando isso acontece, é feita uma entrevista a fim de detectar se o interesse pode ser só fogo de palha. Elas contabilizam que 300 animais (incluindo um coelho) ganharam endereço fixo. Manter o trabalho não é fácil. Mensalmente, são 60 quilos de ração. Com remédios e outros cuidados, a conta chegou a atingir 5 000 reais, saídos do bolso das duas, que não pensam em transformar o serviço em ONG. O que mais pesa são as castrações, ao preço de 80 a 150 reais. Isso porque no Centro de Zoonoses, da prefeitura, cada residência paulistana pode solicitar a cirurgia para um limite de dez animais. "Esgotamos não só nossa cota, mas a dos amigos e dos vizinhos", lamenta Adriana.

O apoio virtual tem crescido. São mais de 7 200 fãs no Facebook. No plano físico, a maior parte dos seguidores é de quatro patas. "Muitos vão à porta da empresa para receber comida", descreve Danielle. É comum também abandonarem caixas com filhotes nos endereços da dupla. "As pessoas deixam seus pets para trás sem dó", reclama a auxiliar administrativa. "Mas não tem preço ver um bichinho que era doente ganhar uma casa com comida e carinho", conclui.



(texto publicado na revista Veja São Paulo de 5 de março de 2014)

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

9 formas com as quais seu cérebro sofre quando você não dorme direito (Vida em Equilíbrio)


Ficar cansado é terrível para o seu cérebro e pode ser extremamente destrutivo, afinal, você fica mais propenso a tomar decisões arriscadas, a esquecer o que fez e, muitas vezes, a agir feito idiota. Para que você tenha ideia da gravidade do problema, saiba que dirigir cansado é tão perigoso quanto dirigir bêbado.

Para evitar danos à sua saúde, durma o suficiente - pelo menos 8 h por dia - para ter um cérebro em plena forma. Afinal, os efeitos do cansaço no órgão não são legais, confira:

1. Perda de memória

O hipocampo, uma parte do cérebro, exibe um padrão de atividade neural quando a mente "grava" novas informações. Cientistas acreditam que o órgão faz essa atividade enquanto nós dormimos - sim, enquanto dormimos, gravamos as informações. Portanto, se você não dormir, irá acabar "perdendo" suas memórias.

2. Raiva

Instabilidade emocional pode ser, em parte, um produto de comunicação interrompida entre duas regiões cerebrais. Mais precisamente entre a amígdala, estrutura cerebral responsável pelas emoções, e o córtex pré-frontal, responsável por regular os sentimentos. Não dormir corta essa conexão e sua amígdala fica totalmente sem filtro.

3. Pensamento rápido prejudicado

O cansaço afeta os processos cognitivos do pensamento, o que ajuda na hora de um debate, quando você não dorme, seus argumentos ficam meio sem sentido. Cientistas acreditam que as atividades no giro frontal inferior - responsável pelo poder de argumentação - melhoram enquanto dormimos.

4. Alucinações

O cérebro bem descansado é capaz de filtrar melhor estímulos (som, luz, cheiro, etc...). Quando o cérebro não consegue filtrar os estímulos recebidos, o caos se instala. Depois de virar uma noite, as pessoas podem começar a ver coisas que não estão lá.

5. Distração

Todos nós perdemos o foco às vezes, mas existe uma parte do cérebro responsável pela atenção, e ela é uma das mais prejudicadas quando estamos cansados. Depois de uma boa noite de sono, seu cérebro descansa e volta ao normal.

6. Dor de cabeça

Adultos saudáveis podem perder algumas funções cerebrais quando não dormem e isso pode dar uma dor de cabeça imensa. As alterações nos lobos frontal, temporal e parietal são os responsáveis pela dor, mas os cientistas ainda não sabem explicar o porquê.

7. Fala arrastada

O lobo temporal, a região do cérebro que processa a linguagem, é muito exigida durante o dia. Se deixamos de dormir, essa parte do cérebro pode ficar sobrecarregada e causar uma fala arrastada – a famosa voz de sono.

8. Decisões arriscadas

Não aposte no sono! Pessoas cansadas não devem tomar decisões importantes. Não dormir causa algumas alterações no córtex pré-frontal, responsável pelo julgamento de possibilidades. Isso faz você pensar que pode conseguir as coisas do seu jeito, mas isso pode ser um engano e tanto.

9. Lesão cerebral

Não dormir pode matar algumas células do cérebro. Infelizmente, os danos são irreparáveis nesses casos. Você não vai conseguir recuperar as células perdidas, mas pode evitar uma perda maior com uma boa noite de sono – pelo menos 8 horas por dia.

Durma bem, além de ser maravilhoso, é de extrema necessidade.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Le chat du rabbin (áudio em francês)


A lenda de Sarila (dublado)


Le petit Nicolas - On a fait un journal (sous-titré en français)


Le petit Nicolas - La récompense


Le petit Nicolas - Noel c'est chouette


O gato do rabino (dublado)




Recomendado: Song of the sea (A canção do oceano) - áudio em inglês e legendas em português




O que acontece quando se coloca um cubo de gelo na parte de trás da cabeça?





A medicina tradicional chinesa descobriu um ponto do nosso corpo que quando é estimulado promove um bem estar geral.

Este ponto chamado de Feng Fu, é um ponto de pressão que se situa atrás da cabeça, na base do crânio, na parte superior do pescoço.

Ponto Feng Fu

De acordo com a medicina tradicional chinesa o Método do Ponto Feng Fu não trata os problemas do organismo. Na verdade, este método, faz com que o corpo volte ao seu equilíbrio fisiológico natural – fornecendo um forte impulso de vida rejuvenescendo todo o corpo.

Aplicação de gelo no ponto Feng Fu

Técnica da aplicação de um cubo de gelo no ponto Feng Fu:

Escolha uma posição confortável de barriga para baixo.

Aplique um cubo de gelo, uma ou duas vezes por dia, durante 20 minutos.

Se lhe for mais conveniente, pode usar um pano ou um saquinho de plástico para envolver o cubo de gelo.

Ao fim de 30 segundos começará a sentir um leve calor neste ponto.

Nos primeiros dias há a possibilidade de uma leve sensação de euforia devido à libertação de endorfinas.

Ponto Feng Fu

Alterações que poderá sentir ao aplicar este método:

– Diminuição de dores de cabeça, dores de dentes e de articulações;

– Ajuda a regular problemas de tensão arterial (hipotensão e hipertensão);

– Melhoras no sistema digestivo;

– Melhoras do seu sono e humor;

– Alívio de infecções gastro-intestinais e doenças sexualmente transmissíveis;

– Alívio de perturbações neurológicas e distúrbios psico-emocionais: fadiga crônica, stress, depressões, insônias, etc;

– Inibição de alterações degenerativas da coluna vertebral;

– Melhoras de problemas respiratórios;

– Ajuda a inibir problemas ligados ao sistema cardiovascular;

– Eliminação de constipações frequentes;

– Estabilização de distúrbios provocados pela tireoide;

– Alívio de ataques de asma;

– Redução da celulite;

– Melhoras de problemas do trato gastro-intestinal,;

– Melhoras de desordens ligadas à obesidade e à má-nutrição;

– Alivio de desordens ligadas à frigidez, impotência e infertilidade;

– Melhoras de problemas menstruais.

7 sinais de que você está pronto para uma grande mudança na vida - Fatima dos Anjos (Portal Arco Iris)


1. Você está passando por uma turbulência

Quando você está enfrentando uma turbulência na vida, seja na carreira, relacionamento, família ou finanças, geralmente é uma indicação de que uma mudança de rumo é necessária. Também representa uma oportunidade para aprender mais sobre si mesmo, sobre o que quer, e como fazer as mudanças necessárias para proporcionar a alegria e a paz que está procurando.

A grande reviravolta na vida é nada mais do que um convite para crescer e evoluir como pessoa. Não deixe que esta estrada rochosa seja um sinal de que sua vida está condenada.

2. Você está no limite e sabe que é agora ou nunca

Você já tem pensado em fazer mudanças há algum tempo e está um pouco farto, com infelicidade, frustração e uma negatividade que foi penetrando aos poucos em sua alma. Sente que é o momento em que está pronto para reescrever sua história de vida e torná-la diferente, estando disposto a fazer o que for preciso para alcançar o que procura, porque sabe que é digno disso. Todos nós somos.

3. Está cansado de apenas sobreviver

No fundo você sabe que a vida é para ser desfrutada, experimentada e verdadeiramente amada, e que apenas pagar as contas e assistir mês após mês passar está matando lentamente a alma criativa e aventureira do seu verdadeiro Eu. Você sonha com o dia em que poderá finalmente fazer o que ama e viver o seu propósito, e não está mais disposto a apenas sobreviver. Sua alma está dizendo que é o seu tempo de prosperar.

4. A sua vida atual é muito pequena para os seus grandes sonhos

Você tem grandes sonhos e quando olha em torno da sua vida atual sabe que algumas coisas precisarão mudar drasticamente para abrir espaço ao que pretende realizar. Se quer sair do seu trabalho e viajar pelo mundo ou construir uma cabana na floresta para escrever o seu romance surpreendente - grandes coisas terão que acontecer, e para que os seus sonhos se tornem realidade, você deve abraçar as mudanças.

5. A sua alma está chamando

À primeira vista, você achava que a vida era ótima e que não tinha nada a reclamar, mas está começando a sentir um desejo interno de arriscar algo novo. A sua visão não é totalmente clara e não tem certeza onde pode acabar, mas as coisas estão mudando dentro de si e já sabe que, assim que disser "sim" a essa voz interior que vai dando os sinais, os dominós começarão a cair e a vida se transformará radicalmente.

6. Todos os sinais apontam para o "sim"

Você está notando um tema em comum no seu círculo de amigos e no mundo à sua volta. Mais pessoas estão tomando decisões aparentemente malucas para abandonar seus empregos, mudar de país ou viver um grande sonho. A verdade é que estas são apenas mensagens do Universo dizendo: "sim, está na hora". Tempo para dar o salto, o risco, e viver um pouco (ou muito). Há um mundo inteiro lá fora esperando e agora você está começando a entender que de fato a sua hora chegou.

7. Está lendo este artigo

O fato de está à beira de uma grande mudança na vida não é mais novidade. Você pode sentir o estrondo interior dos seus sonhos e a força magnética da inspiração puando para si o seu propósito, e este artigo é apenas uma confirmação.

Ouça o seu coração e dê o próximo passo. Não há nenhum mapa secreto que irá iluminar seu caminho, tudo o que tem a fazer é começar.

Siga a sua intuição e inspiração!

domingo, 25 de outubro de 2015

Simon & Garfunkel - Full Concert - 11/06/93


Casualties of War (1989) - with Michael J. Fox and Sean Penn


Michael J. Fox documentary (1987)


Documentário sobre Freddie Mercury (National Geographic)


Back to the Future Part II e IIl Blooper Reel





Back To The Future - Filming Locations 30 Years Later


Queen - Days of our Lives (documentario sottotitolato in italiano)








Freddie Mercury documentary (Queen)


Queen documentary - Killer Queen


Brian May documentary (Queen)


Roger Taylor Documentary (Queen)


Deacy - The John Deacon Documentary HD (Queen)


Back to the Future 4 Trailer 2016 - Parody


Back to the Future - Script to Screen


Back To The Future Making Of Documentary Part 1





10 fatos curiosos sobre os canhotos - Leonardo Ambrosio




1 – Aproximadamente 10% da população mundial utiliza mão esquerda na maior parte do tempo.

2 – Grandes famosos como Napoleão Bonaparte, Leonardo da Vinci, Michelângelo, Einstein, Newton, Bill Gates, Oprah Winfrey, Obama e Jimi Hendrix eram canhotos.

3 – 40% das pessoas que sofrem com esquizofrenia são canhotas.

4 – Destros têm uma tendência a mastigar com o ledo direito da boca, enquanto os canhotos tendem a mastigar com o lado esquerdo.

5 – Mais de 2500 canhotos morrem a cada ano por usar equipamentos feitos para destros.

6 – Existem mais canhotos com QI superior a 140 do que destros.

7 – Crianças prematuras têm uma tendência maior a serem canhotas.

8 – Soldados canhotos preparam e atiram granadas de cabeça para baixo, por conta da posição do pino de segurança.

9 – Genes hereditários são responsáveis por apenas 25% da chance de ser canhoto, mostra um novo estudo.

10 – Canhotos são mais afetados por stress pós-traumático que os destros, revelam pesquisas.

sábado, 24 de outubro de 2015

Para quebrar a rotina, área rural oferece passeio com gostinho de fazenda - Graciela Zabotto


Com comida no fogão a lenha, passeio em trilhas e ordenha de vaca, parque fazenda em Caucaia do Alto ensina adultos e crianças a terem respeito pelo meio ambiente

Quem procura fugir da rotina de cidades movimentadas e busca atrações rurais, não precisa ir muito longe para encontrar um estilo de vida totalmente diferente. Na altura do quilômetro 39 da rodovia Raposo Tavares, à esquerda, na Estrada de Caucaia do Alto, altura do km 7, em Cotia, uma família resolveu transformar um sítio em um verdadeiro turismo rural.

Com uma área total de 120 mil metros quadrados, situado junto à Reserva Florestal em Caucaia do Alto, o parque fazenda Bichomania tem opções de lazer para adultos e crianças. Muito mais do que estar em meio ao verde e ter contatos com os animais, a proposta é ensinar as pessoas a respeitarem os bichos e o meio ambiente, cada vez mais 'engolidos' pela ânsia humana.

São 45 mil metros quadrados de área preservada e cerca de 60 animais divididos em 25 espécies. Todos autorizados pelo IBAMA. "Nós temos a licença ambiental para cuidarmos dos animais. Podemos ter macacos, corujas, araras e tucanos, dentre outros. Temos a licença mantenedora da fauna para preservação e animais que o próprio IBAMA apreendeu e foram levados para o parque fazenda para voltarem ao seu habitat, obedecendo a diversas normas exigidas pela instituição", contou Gustavo Pires, responsável pelo empreendimento. Para trabalhar com a educação ambiental, o parque fazenda mostra para adultos e crianças como é o dia a dia de quem mora no sítio e apresenta a beleza da vida em meio à natureza. Para muitas crianças que cresceram na geração internet, o passeio é quase como apresentar um outro mundo que vai muito além de senhas de acessos, redes sociais e Google.

"Aqui nós mostramos como tirar leite de vaca, como cuidar dos bezerros, cavalos, porcos, lhama, coelhos e a galinha chocando os ovos. Temos até casos dos próprios pais que nunca viram vários tipos de galinhas e nem sabem como ordenhar uma vaca", falou Pires, completando ainda que o dia no campo tem também passeios de charrete, para que as crianças saibam como era a locomoção antigamente, e a explicação de como funciona um engenho, para aprenderem como os escravos moíam a cana para produzir o açúcar. 

Os passeios são sempre monitorados. Os funcionários explicam detalhadamente os cuidados com cada animal e ensinam como cada um deve ser alimentado com ração e água, espécies de capim. Para que a experiência seja ainda mais completa, as crianças podem tocar em alguns animais.

"As próprias crianças fazem esse contato com os animais domésticos, inclusive com os filhotes, que eles podem acariciar e pegar no colo. Elas também podem passear em um pônei". Para Pires, essa é uma forma de influenciar as pessoas a terem respeito pelos bichos. "Percebemos que esses momentos de proximidade com os animais podem marcar bastante a vida dessas crianças e, inclusive, a dos pais. Eles passarão a ter outra visão sobre os animais". Já os animais silvestres podem ser apenas observados. Eles ficam no Mini Zoo e suas alimentações são regulamentadas com dietas e devem seguir as instruções rigorosas passadas pelo IBAMA. Dentre as belezas da fauna os visitantes têm a oportunidade de conhecerem araras, papagaios, quatis, macacos, jabutis, corujas, tucanos, veado e avestruz. Aos finais de semana o empreendimento recebe famílias. Já durante a semana o local fica aberto para escolas, com trabalhos voltados principalmente para o ensino fundamental. Por ano, em média de 35 mil crianças visitam o parque fazenda.

As escolas buscam o espaço rural para que os alunos possam fazer diversas atividades, dentre elas ações voltadas para a sustentabilidade, preservação do meio ambiente e trabalhos de campo, com pesquisa de espécie de árvores e plantas.

"As visitas escolares são agendadas com um projeto pedagógico. Os monitores explicam as características de cada animal para as crianças. Na fazenda, elas podem tocar e alimentar os animais. Os silvestres são para visitação com as explicações dos monitores sobre cada um. Temos tirolesa, arborismo, trilha na mata, parquinho, berçário de animais, labirinto, oca do índio Guarany e casinha caipira de sapê", completou o empreendedor.



(texto publicado na revista Viver grande oeste São Paulo nº 33 - outubro/novembro de 2015)

Mobilidade urbana - Angelo Melli, arquiteto e urbanista


A crise da mobilidade é uma questão tipicamente urbana, de cidades médias e grandes. Quando vivíamos em pequenas cidades, com atividades econômicas basicamente de subsistência, pequenos fluxo de mercadorias e de pessoas e baias taxas de crescimento populacional, a questão da mobilidade urbana não se mostrava impactante e tampouco representava maiores entraves à vida dos cidadãos. As cidades cresceram sem controle e era inevitável que os conflitos se avolumassem. As atividades econômicas se tornaram extremamente complexas, a população cresceu e se concentrou nos grandes polos e, lamentavelmente, os governantes não souberam antever as consequências e não planejaram as ações necessárias para atenuar os impactos de tal fenômeno. O século XX foi, sem dúvida, o século do automóvel e do individualismo. A expansão das cidades nesse século, já não se basearam na rede de transportes coletivos sobre trilhos (trens, bondes), mas, induzido pelo enorme poderio econômico da florescente indústria automobilística, baseou-se no automóvel, no transporte individual, na expansão territorial indiscriminada, nos condomínios residenciais afastados, no transporte sobre pneus, no descontrole sobre a poluição ambiental causada pelo uso indiscriminado dos combustíveis fósseis. São enormes as diseconomias de escala provocadas pelos crescentes congestionamentos das vias urbanas, pela ineficiência da malha de transportes coletivos, pelos constantes acidentes viários, pelos tempos cada vez maiores dos deslocamentos de casa ao trabalho, enfim, pelos conflitos de uso das vias públicas entre pedestres, ciclistas, pessoas com necessidades especiais, veículos individuais, coletivos e veículos de carga. Para amenizar esse conflito pelo uso do espaço urbano o fluxo de pessoas e de mercadorias em nossas cidades tem que ser racionalizado, as nossas cidades tem que ser replanejadas, o nosso modo de vida nas cidades tem que ser repensado. As ruas devem voltar a ser espaços de convivência coletiva e não apenas congestionados canais de passagem. Para reduzir a quantidade de veículos nas cidades há que se investir maciçamente em transporte sobre trilhos (os trens e os modernos VLTs, sucessores dos antigos bondes). Quando não for possível, ou suficiente, implantar as vias exclusivas de ônibus articulados (chamadas canaletas em Curitiba). E também, garantir espaço e segurança para o uso de bicicletas (próprias ou as modernas bicicletas de uso coletivo). As calçadas precisam ser requalificadas para permitir as caminhadas nos trechos não muito longos, não só dos pedestres como dos cadeirantes, dos cegos, dos demais portadores de necessidades especiais. O planejamento urbano das cidades deve privilegiar a redistribuição do uso do solo e das atividades produtivas de forma a reduzir a necessidade de tantos deslocamentos intra-urbanos, incentivando o transporte de carga sobre trilhos. Soluções inovadoras como as esteiras rolantes, os grandes elevadores públicos, os teleféricos, as estações de integração intermodal, entre outras, devem ser buscadas para que possamos viver melhor e de forma mais saudável em nossas cidades. Enfrentar essa questão da mobilidade urbana mais democrática, saudável e segura em nossas cidades é o grande desafio que se coloca aos novos prefeitos que serão eleitos nas eleições municipais do próximo ano. A conferir.



(texto publicado na revista Viver grande oeste São Paulo nº 33 - outubro/novembro de 2015)

Ela dá uma fatia de pizza a um mendigo. Quando ela vé quem ele é, ela fica chocada! (Não acredito!)



Karine Gombeau é uma francesa que sempre sonhou em conhecer Nova York. Mas quando ela chega na cidade e oferece um pedaço de pizza a um estranho, sua vida muda para sempre.

Nesta viagem tão desejada, Karine, seu marido, e seu filho andam todos os dias pelas ruas de Nova York. Em uma destas tardes, eles resolvem parar para comer uma pizza, e depois ir caminhar no Central Park, ou talvez na Quinta Avenida? Enquanto decidem o destino do passeio, eles presenciam uma cena que parte seus corações. 

Um mendigo está vasculhando o lixo, em busca de alguma comida. Sem hesitar, Karine resolve se aproximar do homem e lhe oferecer a quentinha que tinha com o resto da pizza. Mas quando abre o pacote, a mulher percebe que a pizza já esfriou, e pede desculpas pela fatia já não estar tão apetitosa.

"Ele me perguntou o que tinha dentro do pacote, e eu tentei respondê-lo em inglês, mas acabei dizendo metade das palavras em francês. Eu disse 'Desculpe-me que a pizza está fria.' E ele então respondeu: 'Muito obrigado. Deus te abençoe'."

Ela não fazia ideia de quem era aquele mendigo, e nem imaginava a surpresa que estava por vir. Dois dias mais tarde, a verdade veio à tona. Nesta manhã, a família francesa acordou com um funcionário do hotel batendo à porta do quarto. Ele os presenteou com três xícaras de café, e mostrou aos turistas uma manchete no jornal local.

A reportagem mostrava a foto do mendigo que eles haviam ajudado, mas ele não era um sem-teto, e sim o ator Richard Gere. Este astro de Hollywood é um milionário, e certamente não precisava daquela fatia de pizza fria.

Na verdade, Karine acabou entrando sem querer no meio das gravações do novo filme the Richard Gere, "Time Out of Mind" (ainda sem título no Brasil). Neste novo projeto, o ator norte-americano interpreta um sem-teto que vaga pelas ruas de Nova York. Apesar de ter sido um engano, este momento tocante, humano e altruista ficará certamente registrado para sempre na memória do astro e de toda a equipe de produção. 


sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Queen: The Story of Bohemian Rhapsody (documentary)


Behind The Scenes: Queen at Wembley Stadium, 1986


Freddie Mercury - The Official Birthday Video


Adam Lambert FULL GMA Performance | LIVE 6-19-15


Diário de vida da Rosinha


Bom, gente, a minha filha tem um diário, o Hachiko também e até o Neném, o gato da Cristal, agora então chegou a minha vez.

Na verdade, escrever é com a minha filha, mas vou tentar. 

Nasci no Japão, mais precisamente em Fukuoka e aos 5 anos imigrei com meus pais e irmãos para o Brasil. Trabalhamos em vários lugares até chegarmos a Campos do Jordão, cidade na qual me casei. Alguns anos depois nos mudamos para São Paulo onde vivo até hoje.

Bom, ontem ouvi uma notícia a respeito dos vendedores no Brás que não puderam trabalhar e decidiram se manifestar impedindo as lojas de abrirem.

Isso me fez lembrar de uma vez que fui com minha filha ao centro da cidade porque precisava ir ao Poupatempo e decidimos tomar um lanche em um bar  na 25 de março, outro local com uma grande presença de vendedores de rua. Fui roubada ao sair do local. Fomos ao Poupatempo, já pensando nas providências para tirar segunda via dos documentos. Acho que é por isso que a minha filha já não gosta muito de ir ao centro, apesar de ser a sua "cidade natal". 

Lógico que é chato ser roubada, mas o incrível é que uma moça ligou para casa dizendo que tinha achado a carteira. Decidi fazer brigadeiros e levar para ela. A minha filha foi comigo e nos encontramos com a moça em frente ao Mosteiro de São Bento. Estava tudo na carteira, menos o dinheiro, é claro!!!

Agradeci o fato de ter recuperado os documentos!!! Legal, não ?




Sobrou para a coluna - Carla Ruas e Sílvia Lisboa


Não é só a má postura ou a tensão diária que estão por trás das dores nas costas. A ciência revela que exagerar na bebida alcoólica, fumar, viver deprimido e até ficar no meio de uma ventania podem despertar ou perpetuar esse martírio

E o vento trouxe... a dor

Parece que aquele conselho de vó de evitar correntes de ar mais intensas faz mesmo sentido. Pesquisadores da Universidade de Sydney, na Austrália, e da Universidade Federal de Minas Gerais resolveram tirar a limpo se as condições climáticas influenciavam o aparecimento de desconfortos na lombar - algo muito relatado por quem convive com a chateação. Após acompanhar 933 voluntários durante um ano e avaliar mudanças na temperatura e na umidade do ar, por exemplo, os investigadores descobriram que a friagem ou as chuvas em si não interferiam no problema. "O único fator em que observamos uma pequena associação foi a exposição a ventos de alta intensidade", conta a fisioterapeuta Leani Pereira, uma das brasileiras responsáveis pelo trabalho. Embora o elo entre ventanias e dores na coluna seja discreto, especialistas acreditam que dá para tirar uma nova recomendação daí. "Vou pedir aos pacientes que se protejam mais do vento", afirma o neurocirurgião Adriano Scaff, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. E por que será que as rajadas de ar chegam a afligir a lombar? "Suspeita-se que os ventos estimulem uma espécie de tratamento muscular", diz Scaff.

Quando a tristeza machuca

A dor na alma tem repercussões físicas. E estudos assinam embaixo. O último deles, debatido no encontro anual da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos e baseado em dados em 26 milhões de pessoas, acusa uma íntima relação entre a depressão e dores nas costas.  "Quando o indivíduo tem dificuldades para lidar com sentimentos negativos, o corpo pode expressar esse conflito por meio de dores", explica a psicóloga Patrícia Mussoi, do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, no Rio de Janeiro. Não é por menos que fatores psicológicos respondem por 16% dos incômodos na nunca ou na lombar, segundo um levantamento canadense publicado no periódico Pain. Se houver predisposição, a angústia sem fim sensibiliza o corpo à dor, e esta, por sua vez, abala o bem-estar emocional - é um círculo vicioso. "Por causa do problema nas costas, o sujeito abandona a atividade física e fica ainda mais triste, tudo que conspira para as dores persistirem", diz Patrícia. Uma hipótese que justifica essa ligação é o fato de que neurotransmissores na cachola que modulam o humor também participam do controle da dor. Por isso, em alguns casos, o tratamento do suplício físico cobra sessões com o psicólogo.

É fogo para a coluna

Quase todo mundo, em algum momento, vai enfrentar um episódio de dor nas costas - 80% da população do planeta, para sermos precisos. Mas quem fuma tem uma probabilidade muito maior de fazer parte dessa turma (e, pior, não sair mais dela). A conclusão vem do mesmo estudo americano que apontou o dedo para a depressão. Ele registrou que 16,5% dos fumantes sofriam com o perrengue na coluna, ante 3,7% dos não fumantes. É uma diferença expressiva, resultado dos danos que o tabagismo impõe aos vasos que irrigam as costas. Nesse contexto, há uma maior dificuldade de o organismo se livrar do lixo gerado pelas células musculares. Isso deixa a região imensa em um meio muito ácido, propício a espasmos na musculatura. Para complicar, o aperto nos vasinhos impede que analgésico naturais do corpo, como as endorfinas, cheguem ao local para aliviar a  situação. Aí já viu: é um cenário perfeito para o incêndio doloroso continuar. "Pessoas que fumam ainda não costumam se exercitar, o que torna os músculos mais flácidos e suscetíveis a contraturas", avisa Carlos Macedo, chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas de Porto Alegre. Precisa dizer mais? Se for o seu caso, largue o cigarro.


G0les bem doídos

A lista de motivos para não se exceder na bebida alcoólica é looonga. E acaba de ficar maior: a dor nas costas entrou na parada. Palavra daquele mesmo estudo que escancarou o impacto do cigarro no sofrimento da coluna. No caso do álcool, pessoas que abusam têm nitidamente uma tendência maior à encrenca. A incidência é de 14,7% nesse grupo, diante de 4,4% entre os indivíduos que bebem socialmente. Embora seja complicado definir limites seguros, o alerta serve tanto a quem toma drinques diariamente como a quem deixa para encher o caneco no final de semana. "A dor lombar pode ocorrer na primeira fase da dependência alcoólica, quando se perde o controle e há repercussões negativas nos relacionamentos e no trabalho", afirma a psiquiatra Ana Cecilia Marques, presidente da Associação Brasileira do Estudo do Álcool e Outras Drogas. Isso porque altas doses etílicas atrapalham a absorção da vitamina B1 dos alimentos, facilitando uma  inflamação nas terminações nervosas e nos músculos. O álcool também desregula as substâncias internas que gerenciam as sensações de dor e bem-estar, contribuindo para que o incômodo na coluna vire crônico. Pelas suas costas, aprecie com moderação.

Mandamentos para a coluna ficar em paz

O que sugerem os experts como medidas de prevenção contra a dor nas costas

1) Ajuste a postura

Caminhe com a cabeça reta, o abdômen contraído e os pés alinhados com os joelhos e os quadris.

2) Mexa os músculos

Fortaleça a região abdominal com musculação, natação, hidroginástica, pilates...

3) Durma bem

Evite a posição de bruços. Se dormir com a barriga pra cima, use travesseiro baixo. De lado, melhor adotar um modelo alto.

4) Alongue-se

Esticar-se de vez em quando ajuda a prevenir as contraturas musculares que pesam para a coluna.

5) Não force

Se não está em forma, evite mudar móveis de lugar, arrastar malas e carregar caixas pesadas.

6) Sente direito

Tenha um apoio para a lombar e deixe os joelhos a 90º e os pés no chão. Levante vez ou outra.

7) Pense na mochila

Nada de carga pesada. Usar tiras bem presas às costas impede que um lado fique sobrecarregado.

8) Maneire no salto

Horas em pé de salto alto podem estorvar a lombar: vale alternar com chinelinho ou sapatilha.

9) Perca peso

Barriga demais puxa o centro de gravidade para a frente e a coluna sofre para não enxergar.

10) Relaxe

O estresse propicia contraturas musculares, além de sabotar o sono, a disposição e o humor.




(texto publicado na revista Saúde é vital nº 394 - setembro de 2015)