sexta-feira, 31 de outubro de 2014

The Voice Brasil 2014 - 5ª apresentação


The Voice Brasil 2014 - 3ª apresentação


Cirurgia fetal a céu aberto (Programa Mais Você)


Entrevista com Gisele Bündchen (Programa Mais Você)


Patrick Swayze feat. Wendy Fraser - She's Like The Wind


Inglês com Música: Time of my life do filme Dirty Dancing


Letra & Música: Um dia um adeus de Guilherme Arantes - Prof. Pasquale Cipro Neto


Nossa Língua Portuguesa: Dicas de ortografia - Prof. Pasquale Cipro Neto


Paulo Cesar de Araujo em entrevista a Pasquale Cipro Neto


7 curiosidades sobre os sonhos (Melhor com Saúde)


O mundo dos sonhos sempre causou um grande interesse, tanto por parte dos cientistas como por parte das pessoas comuns. Algumas pessoas supõe que é uma parte do inconsciente no qual o cérebro reorganiza as ideias, lembranças e em que mostra uma grande atividade. Assim, os sonhos contêm uma série de curiosidades que você vai adorar conhecer.

1. Por que não nos lembramos de todos os nossos sonhos?

Com certeza muitas vezes você levantou de manhã com a sensação de ter sonhado alguma coisa agradável ou desagradável, mas é incapaz de lembrar com detalhe do que se tratava. Isso é normal. Os sonhos ocorrem um atrás do outro sem que o cérebro tenha a oportunidade de consolidar a memória, somente a emoção. Por isso temos essa sensação de angústia ou de prazer. Entretanto, é curioso saber que aquelas pessoas que acordam muitas vezes durante a noite são as que mais se lembram de seus sonhos. Por quê? Muito simples. Quando termina um sonho e acordamos, o cérebro consolida melhor a memória. Mas se continuarmos dormindo, a memória não se fixa.

2. Nós reagimos em nossos sonhos como se estivéssemos acordados

Isso mesmo, por assim dizer, é como se a nossa personalidade seguisse sendo a mesma com toda a sua intensidade emocional enquanto sonhamos. Quer dizer, se durante esses sonhos você fica bravo com alguém, sentirá a raiva com toda a intensidade, se sente feliz ao reencontrar com alguém, essa emoção será sincera, o mesmo se sente medo nos pesadelos. As emoções são reais em um mundo imaginário.

3. Os cheiros influenciam nos sonhos

Se você está em um quarto que cheira mal, a úmido, a lixo ou a qualquer cheiro de origem desagradável, o nosso cérebro o associa imediatamente a algo desagradável e deixará emergir um sonho incômodo ou ameaçador. Ao contrário, se prepara o seu quarto com cheiro agradável como um perfume de lavanda ou rosas, o sonho será muito mais profundo, plácido e relaxante.

4. Os pesadelos sempre têm uma origem

Sonhar que nos perseguem, que caímos, que tentam nos fazer mal ou que sofremos um acidente, são resultados diretos de nossas preocupações, do nosso estresse e ansiedade. Naqueles períodos em que estamos mais inquietas e sofremos mais de estresse, os pesadelos serão mais frequentes. Se você sonha que encontra alguma pessoa falecida, é porque de algum modo, você está inquieta ou preocupada com alguma coisa e desejaria que essa pessoa, que já não está mais e da qual você sente saudades, te aconselhe. Quando você tiver um pesadelo, tente averiguar qual pode ser a sua origem.

5. Todos os seres vivos sonham

Cachorros, gatos, ratos, pessoas e golfinhos, todos os seres vivos sonham. No caso dos golfinhos é muito engraçado, pois só a metade de seu cérebro dorme, a outra permanece ativa. E qual é o motivo? Os cetáceos precisam continuar nadando no mar e se manter boiando. Se todo o seu cérebro ficasse inconsciente acabariam afundando e se deixassem de respirar morreriam. É por isso que uma parte do seu cérebro nunca descansa.

6. E se em um de nossos sonhos sonhamos que falecemos?

São muitas as pessoas que pensam que se morrem em um sonho, é um mau presságio. E que, sem dúvida, algo ruim nos espera em um futuro próximo. Isso é um erro que não tem fundamento.

Autores como Rubin Neiman indicam que quando isso acontece, pensamos no porquê disso e investigamos no próprio sonho. O cérebro sempre guarda mensagem através das imagens de um sonho e a ideia de ver a nossa própria morte pode significar algo determinado. A necessidade de terminar uma etapa ou de acabar alguma coisa, um trabalho, uma relação? Somente nós mesmos podemos saber a que se deve.

7. O cérebro funciona à noite como os intestinos

Sem dúvida, uma imagem curiosa. Como você já sabe os intestinos se encarregam de digerir, tomar nutrientes e canalizar alimentos. O cérebro, por sua vez, faz quase a mesma coisa à noite. Digere as experiências, os aprendizados, separa aquilo que é importante e elimina aquilo que não é significativo. Integra nossa memória, reorganiza, conduz e filtra a informação. Algo muito interessante que devemos levar em conta.

Portanto, lembre, dormir é uma necessidade biológica que você não deve descuidar. Cuide dos seus hábitos de sonho com simples estratégias: jantar duas horas antes de dormir, deixar o computador ou o celular uma hora antes de deitar, pois eles atuam como estimulantes. Tome um banho relaxante e termine o dia com um chá. Dormir é básico para a sua saúde, assim como os seus sonhos.















Latte, tre bicchieri al giorno aumentano il rischio di morte prematura nelle donne (Scienze Fanpage)


L'allarme arriva dalla Svezia: tre bicchieri di latte al giorno aumentano il rischio di morire prematuramente o di subire una frattura delle ossa. La causa sarebbe la presenza del galattosio, uno zucchero contenuto nella bevanda che comporta ossidazioni ed infiammazioni.

Le donne dovrebbero stare attente al consumo di latte giornaliero. Un  recente studio, portato avanti dall'università di Uppsala in Svezia, ha rivelato che le donne che bevono tre bicchieri di latte al giorno hanno più possibilità di morire nei prossimi 20 anni. Inoltre, il rischio di fratturarsi le ossa aumenta in maniera direttamente proporzionale all'assunzione di latte.

"Il responsabile potrebbe essere il galattosio, uno zucchero presente nel latte" ha spiegato Karl Michaelsson, docente dell'università svedere "il composto darebbe il via una reazione ossidante ed  infiammante, quest'ultima in grado di affliggere le ossa e la longevità delle donne".

La razione giornaliera di latte suggerita dal dipartimento per l'agricoltura americano è pari a tre tazze, basandosi sul fatto che la bevanda fa bene alle ossa e può ridurre il rischio di infarto. Gli autori di quest'ultimo studio, però, hanno spiegato che le raccomandazioni del dipartimento si basano su basi scientifiche poco certe.

Dati gli effetti dannosi del galattosio negli animali, i ricercatori hanno ipotizzato che un consumo più alto di latte può essere associato ad un maggiore rischio di fratture e mortalità prematura. Da quest'idea è partito lo studio, il quale ha coinvolto 61.443 donne tra i 39 e i 74 anni e 45.339 uomini tra i 45 ed i 79 anni. Il campione femminile è stato seguito per 20 anni e, nel corso di questo frangente di tempo, 15.541 donne sono morte e 18.252 si sono procurate fratture. Dopo un attento studio, i ricercatori hanno scoperto che chi beveva tre o più bicchieri di latte al giorno aveva quasi il doppio (1,93) di possibilità in più di morire durante i successivi 20 anni rispetto a chi ne beveva meno o non ne assumeva.

Il rischio di morte aumenta del 15% per ogni bicchiere di latte assunto quotidianamente. Per quanto riguarda gli uomini, i quali sono stati seguiti per una media di 11 anni, non è stata trovata nessuna correlazione tra mortalità e assunzione di latte.

Non tutto è perduto, la ricerca ha anche svelato che i prodotti fermentati come formaggio e yogurt - i quali contengono pochissimo galattosio - producono l'effetto opposto. Le donne che consumano questi prodotti hanno meno probabilità di morire o fratturarsi le ossa nel periodo analizzato dallo studio. In questo caso il rischio scende del 10/15% per ogni dose giornaliera.






Alimentos não lácteos ricos em cálcio (Melhor com Saúde)


Quando pensamos em cálcio, automaticamente vem à mente a imagem do leite, do iogurte, do queijo etc., porém não sabemos que existem muito mais fontes deste nutriente essencial para nosso desenvolvimento cotidiano. Conheça, neste artigo, quais são os alimentos não lácteos ricos em cálcio.

Cálcio para todos os gostos

O cálcio não apenas está presente nos lácteos, essa, certamente, é uma excelente notícia para os veganos, mas, além disso, também para aqueles que têm problema para digerir o leite, por exemplo, ou para os que buscam uma alternativa além destes produtos que provêm da vaca ou da ovelha.

Os grupos alimentares ricos em cálcio são:

- bebidas e sucos vegetais
- vegetais de folha verde
- frutos secos
- água mineral

Quais são os alimentos não lácteos ricos em cálcio?

- Plantas de folha verde: são uma das fontes de cálcio mais importantes que existe (muito mais que os lácteos), em especial, a couve que aporta 135 mg de cálcio por cada 100 gramas de folha crua. Contém também provitamina A, vitaminas K e C. É considerada um "super alimento". Outras boas opções neste grupo são a acelga e o espinafre. Pode-se consumir cozida com outras verduras, como recheio de tortas, em pizzas, saladas, em bolinhos, etc.

- Frutos secos: uma das melhores em relação ao cálcio são as amêndoas, que têm 264 mg de cálcio por 100 gramas. Também aportam magnésio, vitaminas E e B2 e manganês. Servem para reduzir o colesterol. Outras alternativas são as nozes do Brasil (160 mg para casa 100 gramas) e as avelãs. Podemos desfrutar delas como aperitivos ou snacks (um punhado entre as refeições), para decorar como produtos de confeitaria, como leites vegetais.

- Ervas aromáticas secas: são usadas em pouca quantidade, mas temos o costume de adicioná-las em todos os pratos que preparamos, além de darmos mais sabor e aroma à comida, receberemos uma boa quantidade de cálcio. Podem-se consumir algumas delas como infusão. As mais recomendadas são o tomilho seco, endro, manjerona, sálvia, orégano, hortelã e manjericão seco.

- Sementes de sésamo: quando estão torradas aportam uma grande quantidade de cálcio. Podem ser utilizadas para fazer tahini, um creme típico na comida árabe. Nos oferece, por sua vez, vitaminas B1 e B6, manganês, magnésio e cobre. Polvilhar nas saladas, tortas, pães e sucos.

- Sementes de linhaça: são similares às de sésamo com relação à quantidade de cálcio. O óleo é anti-inflamatório e combate a arteriosclerose. Você pode fazer um pão caseiro com linhaça, por exemplo, ou polvilhar em sucos, batidas, tortas, saladas, molhos ou cremes.

- Leguminosas: são uma excelente fonte de cálcio (13% de sua composição), sobretudo os feijões brancos e pretos. Têm, ainda, outras propriedades como equilibrar o açúcar no sangue e a pressão sanguínea. Não podemos abusar delas por causarem flatulências. Misturar as leguminosas com verduras para preparar cozidos.

- Dente de leão: é realmente benéfico para nosso organismo, diurético e bom para o fígado, grande antioxidante. As folhas macias podem ser cozidas em saladas, como se fosse espinafre. Aporta mais cálcio que o leite (187 mg para cada 100 gramas), você também pode consumir as raízes cozidas.

- Laranja: é uma das poucas frutas que nos aporta uma quantidade interessante de cálcio, 65 mg por cada unidade. Além disso, como todos sabem, é rica em vitamina C. Consome-se também em batidas, saladas de frutas, tortas e outras sobremesas.

- Quinoa e amaranto: são conhecidos como "pseudo cereais" e devem ser incluídos em dietas vegetarianas e veganas por seu grande aporte de cálcio.  O amaranto, por exemplo, é a planta mais nutritiva que existe, com 18% de cálcio. Misturá-lo com arroz é aconselhável para os que não bebem leite. Também pode-se consumir como sopa ou um refogado de legumes. A quinoa, por sua vez, tem ótimas propriedades para o organismo, pode-se consumir com milanesas, para tortas etc.

- Casca de ovo: desde a antiguidade se diz que esta parte do ovo tem uma quantidade de cálcio e ajuda no metabolismo dele no corpo. Lavar o ovo sem quebrar a casca, espremer um limão e deixar cair o suco sobre ele. Deixe atuar por 12 horas, retirar o ovo com uma colher de madeira e beber o líquido restante bem devagar.

Desvendando mitos sobre o cálcio

Na crença popular, diz-se que os lácteos são os alimentos que contêm mais cálcio, que é o que melhor se absorve pelo corpo e que o consumo de leite está diretamente relacionado à prevenção da osteoporose. A verdade sobre isso é:

Em primeiro lugar, é preciso saber que o alimento que mais cálcio nos aporta são as sementes de papoula (com 1448 mg por cada 100 gramas), logo seguida pela alga awake (1380). O leite de vaca tem apenas 120 mg, o mesmo que o iogurte. Outras fontes repletas de cálcio são a alga kombu, o sésamo, a soja, as amêndoas e a couve (mais de 150 mg).

Em segundo lugar, está comprovado que o cálcio que melhor se absorve é o das algas, seguido pelas hortaliças de folhas verdes, os frutos secos, as sementes oleaginosas, os cereais integrais e os legumes. Depois, vem o leite e seus derivados.

Por último, as pesquisas recentes demonstraram que diferentemente do que se acreditava, o leite pode causar osteoporose se consumido durante toda a vida. Por exemplo, nos países onde mais se consome esse lácteo (Suíça, Finlândia, Suécia e Holanda) há mais casos desta doença que ataca os ossos. Nas nações onde menos se consome (Libéria, Camboja, Gana, Congo), a osteoporose é muito rara de encontrar.















Programa Nossa Língua Portuguesa - Prof. Pasquale Cipro Neto


Entrevista com o professor Pasquale Cipro Neto


Amor romântico e amor genuíno - Jetsunma Tenzin Palmo


Dr. Valentim Gentil Filho fala sobre a depressão (Programa Canal Livre)


Dor do coração (documentário)


Sopro Cardíaco - Dr. Antonio Ghattas (Programa Mulheres)




Insuficiência mitral - Dr. José Ramirez (Programa Todo Seu)


Diário de vida: curtindo a primavera: mais "hanashobu" no jardim


Mais uma vez fiquei monitorando essas lindas flores!!


































Dicas de economia - aparelhos em stand by (Eletropaulo)


Intelligenza e educazione


Gentilezza genera gentilezza



Azia e Omeprazol e problemas relacionado a fezes - Dr. Lair Ribeiro


Médico analisa os efeitos do aspartame para o corpo humano - Dr. Reginaldo Lotumolo


Gordura e Colesterol (Programa Repórter Saúde da TV Cidade de Maringá)


O que é gordura saturada e insaturada


quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Como hidratar seus cabelos com óleo de coco - Isabel Vasquez, cabeleireira e técnica em tricologia (Programa Você Bonita)


Diário de vida: Curtindo a primavera


Apesar de estar ainda no período de luto pela morte do meu querido cãozinho Hachiko,  tenho a consciência de que a vida continua. Ainda não estou preparada para ter outro amigo de quatro patas. Várias pessoas me aconselharam a arrumar outro cão, mas seria como substituir um parente por outro pois o sentimento que tinha e tenho pelo Hachiko é o mesmo endereçado a um ser humano. 

Como estamos em plena primavera, acho que por enquanto vou me dedicar um pouco às flores e tenho feito muitas fotos do hanashobu ou íris japonesa. 

Eis algumas fotos feitas das flores do jardim de casa.









Os Benefícios do Óleo de Coco Extra Virgem - Dr. Wilson Rondo Jr


Os benefícios do óleo de coco extravirgem - Dra. Gisela Savioli, nutricionista funcional (Programa Você Bonita)


Como fazer o óleo de coco caseiro (Blog Aprendiz de Cabeleireira)


Dicas com bicarbonato de sódio que você precisa saber (Blog da cabeleireira)


A importância de alho, mel, limão e cebola para a saúde - Pe. Antônio Belo (Sabor de Vida)


Auto-Hemoterapia: Conversa com Dr Luiz Moura


Crise de abstinência - Bia Granja


A nova síndrome das redes sociais é o momo, ou o medo de ficar por fora do que os amigos estão fazendo

Você passa 70% do seu dia no Facebook, 10% no Instagram e os outros 20% reclamando do quanto as pessoas se expõem loucamente nas redes sociais e o quanto não aguenta mais ver foto da galera no restaurante, na viagem, no festival de música, na praia, no parque, na balada e afins. Porém, uma coisa que você não conta nem no Secret é que essa quantidade de posts faz com que você se sinta bem, se sinta incluído e fazendo parte da vida dos caras. É um vício, aquele lance que a gente adora odiar mas que alimenta nosso lado stalker e acalma o lado carente. Muito bem!

Daí vamos imaginar que, de repente, seus amigos e perfis que você acompanha começam a postar menos, quase desaparecendo da sua timeline. Meu Deus! Onde eles estão? Por que não publicam mais nas redes sociais? Será que estão fazendo algo tão legal que não dá nem tempo de publicar na internet? E, principalmente, por que eu não estou sendo incluída nesse rolê?

Muita paranoia? Pois saiba que essa nova ciumeira das redes sociais tem nome e atende pela sigla Momo ou Mystery of Missing Out (Medo de Estar por Por Fora, na tradução do inglês). Se durante muito tempo a gente viveu na base do Fomo, o Fear of Missing Out (Medo de Ficar de Fora), que rola quando a gente vê muita coisa sendo postada na  timeline e não sabe como lidar com a informação, o Momo nasce da ansiedade causada pela falta de informação. Olha que loucura!

Eu já senti isso vária vezes e estou feliz que agora deram um nome pra essa sensação bizarra. (Não, pera!) Parece que você não é mais digno de receber as atualizações ou que algo tão mais legal está rolando na vida das pessoas que as mantém fora das redes sociais. Amigos, por favor, não me deixem aqui sozinha!

Depois de passar pela fase em que a gente sabe TUDO o que está acontecendo na vida dos outros, de repente bate aquela super síndrome de abstinência. Mas se existe uma sigla que define nossa sensação ao ver as pessoas postando menos, quer dizer que as pessoas estão postando menos, certo?

Assim, fico feliz de imaginar que talvez a gente tenha superado a necessidade de documentar tudo o que acontece ao nosso redor como mecanismo de validação do que acontece ao nosso redor. Ou seja, quanto menos documentação, talvez, de fato, mais a gente esteja vivendo a vida lá fora. Se for isso mesmo, desejo vida longa ao Momo!



(texto publicado na revista Galileu nº 278 - setembro de 2014)






Treine o cão grande dentro do apê - Camila Rodrigues


Saiba como educar o seu gigante companheiro peludo para se comportar adequadamente, além de adaptar a casa para ele viver bem no pequeno espaço

Criar um pet dentro de um apartamento não é tarefa fácil. Ainda mais quando aquele lindo filhote escolhido para fazer parte da sua família cresce e se transforma em um peludo gigantesco! Foi isso que aconteceu com a escritora Ana Maria Cuder, de São Paulo (SP). Depois de atender aos incessantes pedidos do filho Eric, ela viu o serelepe Apollo, um Golden Retriever, de 3 anos, dobrar de tamanho do dia para a noite. "Eu não entendia nada de cães, e meu filho disse que a raça era pequena e especial para apartamento. Eu acreditei, mas Apollo com 2 meses já estava enorme". ri.

Assim como Ana, muitos tutores desconhecem características marcantes correspondentes a cada raça. Além da falta de informação, existe o mito de que cachorro grande é sinônimo de bagunça e destruição.

Sociabilização já

Para Carolina Rocha, especialista em comportamento animal (SP), "mais importante que a raça e o porte é o temperamento do pet, como vão lidar com ele e como será socializado". Já para Ana Rita Carvalho Pereira, especialista do Hospital Veterinário Santa Inês (SP), antes de criar um animal de estimação, os donos devem levar em conta aspectos comportamentais e estruturais de cada pet. "Temos de pensar na personalidade que estamos procurando e no tipo de ambiente que vamos proporcionar para o peludo." Ainda é necessário adequar a residência às necessidades naturais do bicho para que ele possa conviver em um local estimulante.

O ideal para um cachorro grande é, sim, habitar uma área espaçosa. Porém, antes que você cogite expulsar o pet de casa, saiba que é possível um animal viver saudável dentro de residências menores, desde que tomados os cuidados para o bem-estar do peludo - e a sua sanidade, claro!

Sinal de alerta

Independentemente do porte do mascote, como citado, a criação no apartamento deve ser baseada em um conjunto de estímulos mentais e físicos, oferecidos desde as primeiras semanas do animal. Do contrário, o filhote pode se transformar em um cachorrão estressado e cheio de problemas comportamentais, como a Síndrome da Ansiedade da Separação - quando o peludo age de maneira inadequada na ausência do dono.

Caso não sejam oferecidos esses encorajamentos, os tutores podem identificar a presença de distúrbios comportamentais por meio de três atitudes recorrentes: "Vocalização excessiva, destruição do mobiliário da casa e eliminação inadequada, como xixi e cocô fora do local determinado", pontua Carolina. Ainda de acordo com a comportamentalista, tais sinais são mais corriqueiros em raças menores, pois estes cães costumam receber mais mimos e têm apego excessivo ao dono. Porém, os cachorros de grande porte também podem apresentar esses comportamentos, pois além de também não terem certa independência em relação ao dono, precisam de mais espaço para gastar energia.

Comida para um batalhão

Todos os cachorros, seja qual for o tamanho ou a raça, devem ter uma alimentação balanceada que sane as suas necessidades nutricionais. Todavia, donos de pets grandes precisam ficar ainda mais atentos ao peso de seus companheiros peludos. "Eles devem se alimentar ao menos duas vezes ao dia, com uma quantidade adequada de ração", ensina Ana Rita. A veterinária ainda alerta sobre um problema que afeta de 24 a 44% dos cães domésticos, principalmente os de grande porte. "Se o pet tiver iniciado um quadro de sobrepeso por falta de exercícios, a quantidade de ração deve ser reduzida ou substituída por uma light. Já existem rações específicas para animais de apartamento, chamadas indoor, que possuem menos calorias", complementa.

Limpeza impecável

A higienização dentro da residência também deve ser bastante rígida. "Durante a limpeza, não utilize produtos à base de amônia, pois o cão pode sentir o cheiro e fazer xixi no local em que foi aplicada a solução", adverte Carolina.

Isso acontece porque o peludo pode associar o odor à urina de algum outro animal. Para que esse "mal-entendido" não ocorra na casa, as melhores opções de desinfetante são os bactericidas e os enzimáticos, que conseguem quebrar as moléculas da urina.

A higiene do pet também é essencial para manter um ambiente saudável. "A frequência de banhos deve ser regular e a limpeza das patas e barriga, uma constante, pois ele terá livre acesso a sofás e camas", comenta Giulianna Portes, adestradora da Cão Cidadão (SP).

De olho na saúde

Com uma anatomia superior a 51 cm de altura, os cachorros grandalhões exigem cuidados específicos com as articulações e músculos, pois estão mais propensos a desenvolver problemas ortopédicos. A patologia que mais atinge esses pets é a displasia coxofemoral, doença hereditária que causa má formação nas articulações, dificultando a locomoção do animal. Essa complicação é muito comum nos cachorros das raças Boxer, Pastor Alemão, Labrador ou em cães nascidos de cruzamentos indiscriminados.

De acordo com Ana Rita, a disposição dos móveis pode contribuir para o desenvolvimento desse quadro clínico. Para evitar que o pet sofra, os tutores devem liberar espaço na residência e adequar os móveis para que ele possa se locomover livremente. O piso é também um fator importante dentro do apartamento. "A superfície errada pode dificultar a mobilidade do cão. Por isso, dê preferência aos assoalhos com uma maior aderência para o peludo não escorregar enquanto caminha", salienta.

Na hora de escolher os materiais para revestir o seu apê, procure opções de carpetes de madeira ou de cortiça.

Exercícios essenciais

Por falta de tempo e rotina corrida, algumas pessoas acabam proporcionando passeios rápidos e pouco atrativos para seus animais. "O ideal para os cães dessa estatura são os passeios com duração entre 40 minutos e uma hora, de três a quatro vezes por semana. Durante esse tempo, o mascote vai fazer suas necessidades fisiológicas e se exercitar o suficiente para auxiliar na diminuição da ansiedade", explica a especialista Carolina.

Ana Rita acrescenta que não adianta levar o peludo para passear no ritmo do condutor, erro comum cometido pela maioria dos tutores. "A caminhada deve começar com velocidade acelerada para o cachorro gastar a energia acumulada, e aos poucos o dono pode deixar o companheiro peludo mais solto para que ele possa interagir com outros animais, sem falar que, assim, ele irá descobrir novas sensações na rua, o que é importantíssimo", complementa.

Para deixar seu mascote mais tranquilo e cansado (tarefa bem difícil, ela conta) para não ter problemas em casa, Ana Maria colocou o peludo em um daycare, para ele não ficar sozinho em casa cheio de energia. "O Apollo vai à escolinha todos os dias, no período da tarde. Lá ele brinca bastante, sociabiliza com outros animais, além de passear pelo menos três vezes por dia, o que deixa ele superfeliz", explica.



(texto publicado na revista Meu Pet nº 23)


















20 melhores alimentos - Juliana Mesquita


Opções que controlam a ansiedade e amenizam os efeitos do estresse

Estudos, problemas financeiros, trabalho... são fatores que influenciam, e muito, no seu comportamento, podendo envolver sintomas como insônia, distúrbios alimentares e até mesmo ansiedade, que a princípio é um sentimento natural, mas que tende a atrapalhar os afazeres do dia a dia, se não for controlado. Para evitar este problema,uma boa opção é apostar em alimentos especiais capazes de diminuir esta apreensão, e de quebra, fornecer nutrientes essenciais à saúde. Confira!

1) Grão de bico

Considerado o grão da felicidade, esse alimento contém triptofano, usado pelo organismo para a produção de serotonina, o neurotransmissor responsável pela ativação dos centros cerebrais, que gera a sensação de bem estar. Além de manter o astral em alta, o grão de bico ainda possui fitoestrogênios - hormônios vegetais - que atuam no organismo, prevenindo a osteoporose e problemas cardíacos.

2) Banana

A fruta possui triptofano, o aminoácido que se une a vitaminas do complexo B no cérebro, ajudando a formar a serotonina, hormônio responsável por transmitir a sensação de bem estar. E, na presença de cálcio, participa da produção de melatonina, substância que auxilia a ter uma boa noite de sono. Quer mais motivos para incluir a banana no cardápio? Seguem alguns: por conter grande quantidade de potássio, a fruta é grande aliada dos hipertensos. Além disso, possui boa porção de fibras, o que gera a sensação de saciedade, mantendo a fome longe por mais tempo.

3) Sementes de girassol

Os pequenos grãos contêm vitaminas do complexo B, como a B1, que participa da fabricação de vários neurotransmissores, substâncias que levam os sinais de um neurônio a outro - daí a influência sobre o humor. Sua carência acaba acentuando ainda mais os sintomas de estresse e de perda de memória. O alimento ainda carrega outros nutrientes essenciais á saúde. "Ricas em ácidos graxos mono e poli-insaturados, contêm ainda fibras, minerais como o potássio, magnésio, ferro e fósforo, além de cálcio e sódio em baixas quantidades, e vitaminas, entre elas, betacaroteno e vitaminas B2 e B3", acrescenta a nutricionista Greice Caroline Baggio.

4) Abacate

Excelente opção para uma bela vitamina, a fruta também deve fazer parte do cardápio para espantar de vez a ansiedade. Isso porque possui nutrientes que controlam os níveis de cortisol, um hormônio ligado à irritação e ao nervosismo. O abacate ainda é riquíssimo em gorduras monoinsaturadas, como o ácido oleico, substância que previne o acúmulo de colesterol ruim (LDL) no sangue e mantém as taxas do bom (HDL) em dia.

5) Laranja

Frutas cítricas como a laranja carregam consigo vitamina C, diminuindo a secreção de cortisol, hormônio liberado em casos de estresse e ansiedade. Os benefícios da fruta não param por aí. Seu bagaço é rico em fibras, que ajudam o intestino a funcionar regularmente e gerar a sensação de saciedade.

6) Maçã

Fruto proibido? Que nada! Quem sofre de ansiedade deve apostar no consumo de maçã, já que a fruta é fonte da vitamina B1, encarregada por participar da fabricação de vários neurotransmissores, responsáveis pela sensação de bem-estar e bom humor.

7) Limão

Assim como a laranja, o limão possui vitamina C, que ajuda a diminuir a secreção de cortisol. A fruta ainda possui geraniol, uma substância capaz de inibir a multiplicação das células cancerosas.

8) Alface

De vários tipos, a alface, além de pouco calórica - auxiliando quem deseja emagrecer -, é excelente para acalmar os ânimos. A verdura possui em seu caule e em suas folhas uma substância chamada lactucina, que é a grande responsável pelo poder sedativo e analgésico da planta.

9) Peixes

Sardinha, salmão e atum são grandes fontes de gordura ômega 3, que de acordo com um estudo realizado pela equipe de cientistas japoneses, do Centro Nacional de Neurologia e Psiquiatria (NCNP) em Tóquio, pode ajudar na cura de doenças relacionadas aos transtornos de ansiedade. Além disso, a gordura presente nesses peixes é essencial para regular a queima dos depósitos de gorduras nocivas e controlar o apetite.

10) Linhaça

Famosa nas dietas de emagrecimento, a linhaça contém ômega 3, um ácido graxo diretamente envolvido com a produção de diversos neurotransmissores como serotonina, dopamina e noradrenalina, responsáveis pela sensação de bem-estar.

11) Aveia

Além de ser um alimento que aumenta saciedade, diminuindo o apetite por outros alimentos calóricos, a aveia também é fonte de triptofano, o aminoácido que ajuda a sintetizar a serotonina.

12) Gergelim

Motivos para incluir esse grão na alimentação não faltam: o gergelim é fonte de vitamina B6, nutriente essencial para a conversão do triptofano em serotonina. Além disso, o alimento é uma excelente fonte de vitamina E, que atua como antioxidante,expulsando os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento da pele.

13) Leite

Quente ou frio, um copo de leite é uma excelente opção para tomar antes de dormir, já que o alimento é outra fonte de triptofano, o aminoácido que auxilia na formação do hormônio do bem-estar. Além disso, possui fósforo e vitaminas A, do complexo B, D e E. Existem razões de sobra para incluí-lo no cardápio, no entanto, a versão desnatada é a mais indicada, por conter menor quantidade de gorduras.

14) Chocolate amargo

Quando bate aquela ansiedade, atacar uma barra de chocolate é uma saída para muitos. Mas afinal, esse hábito é benéfico? A verdade é que o chocolate é rico em carboidrato, nutriente que recarrega as energias e ajuda na produção de serotonina, que leva à sensação de bem-estar. Mas atenção: prefira a versão amarga que carrega maior quantidade de cacau e não abuse das porções, pois o doce é bastante calórico.

15) Ovo

Antes acusado de prejudicar o coração, hoje sabe-se que ele fornece vários nutrientes importantes para a saúde. "O ovo é rico em vitamina B12 e em colina, substância que está diretamente ligada à melhora da depressão e da insônia", afirma a nutróloga e médica ortomolecular Tamara Mazaracki.

16) Espinafre

O que faz da verdura uma aliada e tanto da saúde é sua alta concentração de potássio e vitaminas A, C e do complexo B, como o ácido fólico, que é responsável por manter o astral em alta - daí a importância do espinafre no cardápio.

17) Maracujá

A sua fama de tranquilizante não é à toa. Isso porque a fruta possui alcaloides e flavonoides, substâncias que atuam no sistema nervoso central, ajudando a combater ansiedade, distúrbios do sono e até mesmo a depressão. Os benefícios não estão concentrados somente na polpa, já que as folhas do fruto também são muito bem-vindas na preparação de chás. "As folhas do maracujá são mais eficientes que a polpa no combate ao nervosismo, além de serem anti-hipertensivas", explica a nutricionista Cassiana Domingues.

18) Valeriana

Quem não abre mão do chá pode ter nas folhas da valeriana uma excelente opção para combater o nervosismo e a ansiedade. "A valeriana possui substâncias com atividade sedativa, calmante, analgésica, anticonvulsivante e relaxante muscular", destaca o clínico geral especialista em plantas medicinais Alex Botsaris.

19) Camomila

Por conter propriedades calmantes, a erva pode promover uma noite longa e tranquila de sono, aliviando os efeitos do estresse.

20) Nozes

Assim como outras oleaginosas (avelã e castanhas), as nozes possuem magnésio, substância que bloqueia um receptor chamado NMDA, que causa ansiedade e estresse.




(texto publicado na revista Vença a ansiedade! nº 3 - ano 2 - 2014)

































Como prevenir doenças cardíacas na mulher? (Melhor com Saúde)


Estimou-se que uma das principais causas da mortalidade na mulher são as doenças cardíacas. Ainda que afete igualmente ambos os gêneros, as mulheres têm algumas características particulares às quais temos que prestar mais atenção, o que pode ajudar a prevenir doenças.

As doenças cardíacas não afetam apenas homens. Os estudos nos indicam, inclusive, que sua incidência está crescendo ainda mais no gênero feminino, a ponto de se estimar que, a cada 91 segundos, uma mulher sofre um infarto nos países ocidentais. O que podemos fazer? Quais mudanças implementar em nosso estilo de vida para prevenir tais doenças?

Doenças cardíacas que mais afetam a mulher

Arteriosclerose

É, sem dúvida, a doença mais comum nas mulheres. Ela se desenvolve pelo acúmulo de tecido e colesterol que vai pouco a pouco obstruindo as artérias, encarregadas de transportar o sangue ao coração. Com o tempo não apenas vão se tornando mais rígidas, como deixam um espaço reduzido para a entrada de sangue, chegando com mais dificuldades ao coração, e no final, esse órgão sofre o que se chama de isquemia. Se o sangue não chega ao coração, derivará em um enfarto. Muita atenção.

Quais são os sintomas que as mulheres apresentam?

O problema que as mulheres têm é que, às vezes, os problemas cardíacos se confundem com outras coisas. Sentem cansaço, dor nas costas ou no pescoço,dói o estômago, etc., enquanto que os homens podem sentir uma dor súbita no braço esquerdo; as mulheres, por sua vez, têm os sintomas de uma doença cardíaca de modo mais difuso: enjoos, cansaço extremo...

Outro indício é analisar as veias do pescoço. Se, além de inchar os tornozelos, as veias do pescoço também incharem, procure um médico rapidamente.

Síndrome do coração partido ou miocardiopatia por estresse

É uma das doenças cardíacas mais características nas mulheres. Está associada a um nível de estresse emocional muito agudo. É comum que as mulheres, em sua vida diária, estejam cheias de responsabilidade e obrigações. O trabalho, a casa, os filhos e, inclusive, cuidar de um familiar doente. Tudo isso faz com que o estresse incida nelas de modo mais intenso.

Nesta miocardiopatia, o que ocorre é que o ventrículo esquerdo do coração se excede e incha, provocando uma pequena disfunção. Não é fatal em todos os casos, nem é tão grave quanto um enfarto, mas é necessário ter atenção para percebê-lo a tempo e tratar. Em geral, tem bom prognóstico.

Quais sintomas as mulheres apresentam?

Os sintomas são muito semelhantes a um enfarto cardíaco, você deve perceber o estado geral. Se sentir cansaço exagerado e não souber a razão, sentir náuseas e dor no estômago e na parte superior do abdômen e, além disso, estiver passando por uma fase de estresse muito acentuado, procure imediatamente o médico.

Como decorrem as doenças cardíacas na menopausa?

A relação é muito estreita. Pensemos que os estrogênios nas mulheres têm uma funcionalidade excelente. Protegem contra doenças cardíacas. Mas, quando chega a menopausa e os níveis desse hormônio caem, ocorre o seguinte:

- Aparecem mudanças nas paredes dos vasos sanguíneos, endurecem, se formam placas ateroscleróticas e surgem coágulos sanguíneos.

- Aparecem as mudanças no colesterol, elevando-se o chamado colesterol ruim ou LDL.

- Aumento de uma substância chamada fibrinógeno, que faz com que o sangue se coagule e apareçam os enfartes e derrames cerebrais.

O enfarte nas mulheres é diferente

Como já vimos anteriormente, a chegada da menopausa provoca algumas mudanças nas mulheres, que as tornam vulneráveis a doenças cardíacas. A redução do nível de estrogênios é determinante para que ocorram estas mudanças.

As probabilidades de desenvolver uma doença cardíaca nas mulheres surgem, portanto, na menopausa. Mas, o mais importante de tudo é que, segundo os estudos, as mulheres têm uma recuperação pior que os homens depois de sofrerem um ataque do coração, pois elas geralmente tardam em reconhecer os sintomas e procurar um médico. Associam o cansaço a outras coisas, a dor muscular ou de estômago a outras doenças, sem saber que é o coração quem está pedindo ajuda.

A prevenção das doenças cardíacas em mulheres

Mudanças de hábitos

Consumir frutas e hortaliças todos os dias: procure consumir cinco variações de frutas e hortaliças por dia, mais um suco de laranja ou de limão. Evite as verduras enlatadas, pois levam sal. Recomenda-se cozinhar as verduras no vapor e temperar com azeite de oliva.

- Limitar o uso do sal.

- Os cereais, melhores os integrais: em especial o arroz, o trigo, o centeio etc.

- Frutos secos: os especialistas recomendam consumir regularmente os frutos secos, pois nos ajudam em nossa saúde cardiovascular. Que tal consumir no café da manhã?

- Mais peixes e menos carne vermelha: sardinhas, cavala, atum ou salmão dispõem do saudável ômega 3. É conveniente, portanto, reduzir o consumo de carne vermelha e aumentar o consumo deste tipo de peixes.

- Evitar o  tabaco, o álcool e as bebidas açucaradas.

- Faça sempre cinco refeições ao dia, um bom café da manhã, um jantar leve e evitar ficar beliscando ao longo do dia.

- Cuidar de sua pressão arterial.

- Cuidar de seus níveis de açúcar no sangue.

- Faça uma hora de exercício ao dia.

- Evite ganhar peso.

- Faça exames periodicamente.

- E, sobretudo, cuide de sua vida emocional, reduzindo estresse e a ansiedade.